quarta-feira, 16 de abril de 2014

Such A Night / Never Ending

Mais um single kamikase de Elvis a chegar nas lojas em julho de 1964. Esse pelo menos tinha um atrativo a mais para os fãs do cantor pois trazia no lado B a canção "Never Ending", inédita dentro da discografia, gravada em uma sessão convencional em maio de 1963, quando Elvis, muito pressionado pela gravadora, entrou em estúdio para gravar faixas que não faziam parte de trilhas sonoras de Hollywood. Agora pensem no seguinte absurdo. A música que era novidade para os fãs naquele momento simplesmente foi relegada para um obscuro Lado B do single que trazia como Lado A uma reprise do álbum "Elvis is Back". Tem como entender algo assim?

De duas uma, ou a pessoa responsável pelos lançamentos de Elvis Presley na gravadora não entendia nada de sua discografia ou então a própria RCA considerava "Never Ending" uma música tão sem expressão que resolveu não investir nada nela no momento de seu lançamento. A segunda hipótese é um pouco improvável pois apesar de "Never Ending" não ser nenhuma obra prima passa longe de se comparar com as bobagens que Elvis vinha gravando para seus filmes. É uma boa baladinha, com letra interessante, fugindo um pouco dos padrões. O tom suave que Elvis imprime em sua interpretação também a salva de cair na vala comum de coisas sem importância dentro de seus últimos trabalhos em estúdio. Agora se você acha que isso já seria bagunça suficiente que tal dar uma olhada na capa? Ela trazia uma foto de Elvis no filme "Love Me Tender" de 1956 (algo completamente nada a ver com as músicas do single) e para completar a confusão o disquinho ainda era qualificado como um "Lançamento especial de verão"!

No material promocional a RCA tentou justificar o single afirmando que seria a primeira vez que "Such a Night" seria lançada em 45 RPM. Também disse que estava atendendo a pedidos do público mas jamais deu maiores explicações sobre as suas afirmações. No fundo não era nada disso. A gravadora simplesmente não tinha mais material convencional de qualidade para lançar no mercado. Tudo o que sobrava para ela era tentar vender as trilhas sonoras de Elvis, o que andava bem complicado com a concorrência forte que estava por aí. Curiosamente o single trouxe resultados comerciais contraditorios. Naquela época a Billboard não classificada o single como uma entidade única mas sim com as canções separadas. Nesse sistema o Lado A conseguia uma classificação dentro das paradas e o Lado B outra posição. Algo ao meu ver sem muito sentido pois quem comprava o single acabava levando as duas canções simultaneamente. Uma questão de pura lógica. Se uma música era vendida a outra também.

Pois bem, na Billboard a canção "Such A Night" mesmo sendo uma reprise sem maiores atrativos conseguiu alcançar uma surpreendente décima sexta posição entre os mais vendidos! Já a música que era inédita, "Never Ending", sequer conseguiu classificação! Esse fato foi ruim porque a RCA desistiu de lançar as gravações de maio de 1963 - havia várias faixas arquivadas - em um álbum próprio. Ao invés disso a gravadora começou a utilizar essas faixas como "tapa buracos" ou "Bonus Songs" nas famigeradas trilhas sonoras que estavam por vir. Só nos anos 1990 as músicas seriam finalmente reunidas e lançadas como inicialmente tinha sido planejada. Isso deu origem ao CD "The Lost Album" (o álbum perdido), um título que recomendo aos fãs de Elvis pois mostra um dos últimos suspiros de relevância musical de Elvis Presley nesse momento tão conturbado de sua carreira.

Such a Night (Lincoln Chase) - It was a night oo-oo what a night / It was it really was such a night / The moon was bright oh how so bright / It was it really was such a night / The night was alight with stars above / Oo-oo when she kissed me / I had to fall in love / Oh it was a kiss oo-oo what a kiss / It was it really was such a kiss / Oh how she could kiss oh what a kiss / It was it really was such a kiss / Just the thought of her lips / Sets me afire / I reminisce and I’m filled with desire / But I’d gave my heart to her in sweet surrender / How well I remember, I’ll always remember / Oh, what a night oo-oo what a night / It was it really was such a night / Came the dawn and my heart and her love / And the night was gone / But I’ll never forget the kiss / The kiss in the moonlight / Oo-oo such a kiss, such a night / It was a night oo-oo what a night / It was it really was such a night / Came the dawn and my heart and her love / And the night was gone / But I’ll never forget the kiss / The kiss in the moonlight / How well I remember, I’ll always remember / That night oo-oo what a night / It was it really was such a night / When we kissed I had to fall in love / But I’d gave my heart to her in sweet surrender / How well I remember, I’ll always remember / Oh that night oo-oo what a night / It was it really was such a night / When we kissed I had to fall in love / Well she's gone, gone, gone / Yes she's gone, gone, gone / Came the dawn, dawn, dawn / And my love was gone / But before that dawn / Yes before that dawn and before that dawn / Oo-oo, oo-oo, oo-oo, oo-oo, oo-oo / Such a night / Uh!

Never Ending (Kaye - Springer) - Walk down to the beach at sunset / Look as far as you can see / You will find that endless ocean / And that's how my love will always be / (On and on and on) / I bring you never ending, never ending / Never ending, never ending / Never ending, never ending love / (It goes on and on) / Look up at the sky at midnight / Gaze on the starlit view / Just as Heaven has no boundaries / Neither does my love for you / (On and on and on) / I bring you never ending, never ending / Never ending, never ending / Never ending, never ending love / (It goes on and on) / Never ending love / (It goes on and on) / Never ending love / (It goes on and on) / Never ending love / (It goes on and on) / Never ending love / (It goes on and on) / (It goes on and on)

Pablo Aluísio e Erick Steve.

domingo, 13 de abril de 2014

Kiss Me Quick / Suspicion

Todo artista tem seu momento de auge, de apogeu e depois a queda é inevitável, diria até natural. Música tem bastante a ver com juventude e no mercado fonográfico o importante é aproveitar as bandas que estão na moda, aquelas que os jovens (principais consumidores de discos) estão curtindo no momento. Em 1964 não é segredo para ninguém que os Beatles dominavam as paradas, as capas de revistas e a atenção da mídia. Aqueles cabeludos em terninhos traziam algo de novo e a indústria do disco americano correu atrás da onda. A RCA Victor assistiu tudo meio sem saber o que exatamente fazer. A gravadora tinha Elvis Presley sob contrato mas desde que ele e o seu empresário colocaram na cabeça de irem para Hollywood as coisas não iam nada bem. A RCA tinha que lançar no mercado todas aquelas trilhas sonoras sem qualidade, um material que não tinha força dentro das paradas musicais. Assim os executivos resolveram radicalizar. Já que Elvis praticamente não entrava mais em estúdio a não ser para gravar músicas de filmes eles resolveram relançar velho material, reprises em singles kamikases que seguiam uma lógica meio sem noção - se vendessem, ótimo, caso contrário a RCA lavava as mãos. Era uma indireta para Parker e Elvis - para que eles colocassem a mão na consciência, quem sabe assim o cantor voltaria a gravar material convencional de qualidade.

Em 1964 alguns compactos que seguiam essa filosofia no mercado foram lançados. "Kiss Me Quick / Suspicion", "Such A Night / Never Ending" e "Blue Christmas / Wooden Heart" tentaram a sorte no disputado mercado de singles. Nenhum desses produtos se destacaram nas paradas, sendo praticamente ignorados, virando mercadoria sem expressão nas lojas. As músicas tinham sido gravadas há anos, algumas da volta de Elvis aos Estados Unidos em 1960, sem nenhuma novidade digna de nota. As capas eram simples, os próprios disquinhos eram feitos de material sem nenhum luxo. Na realidade nada trouxeram para a carreira de Elvis e em pouco tempo estavam pegando poeira no fundo das lojas americanas. Não demorou muito e estavam na seção de "promoções", vendidos a um terço do preço normal de um single de sucesso. Se nos Estados Unidos os kamikases nada trouxeram de bom para a carreira do cantor em países de terceiro mundo (como o Brasil) alguns deles acabaram caindo no gosto do povão. Um exemplo é "Kiss Me Quick" que vendeu muito em nosso país. Em lojas populares os disquinhos eram vendidos em bacias e cestas, onde eram misturados com outros compactos populares em promoção. Elvis disputava espaço com música caipira, samba, forró ou boleros. Em valores atuais custavam uma mixaria, algo em torno de R$ 2,00 ou um pouco menos. Com esses preços irrisórios acabaram atraindo o consumidor brasileiro que os levava para casa - geralmente os singles ficavam posicionados perto dos caixas, assim eram usados como brindes ou troco para as compras do mês. Quando chegavam em casa obviamente as pessoas tocavam os disquinhos em animados churrascos com a vizinhança e assim "Kiss Me Quick" acabou virando um tremendo sucesso (mas apenas no Brasil mesmo). Afinal, se é para ser popular então que se lance produtos popularescos. Elvis nos anos 1960 provou a veracidade dessa afirmação.

Pablo Aluísio e Erick Steve.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Letras - Kissin' Cousins

Kissin' Cousins (No. 2) (Baum - Giant - Kaye) - Cousins, kissin' cousins / Kissin's allowed 'cos we're proud to be cousins / What's a little teasin', huggin' and a-squeezin' / Between us cousins / Oh it's so great to be one big family / And we show it, yes we show it / You see, we never feud, we're a happy brood / Folks all know it, yes they know it / Cousins, kissin' cousins / Honey we dress and we mess / We're just cousins, / Cousins, kissin' cousins / Cousins, kissin' cousins. 

Smokey Mountain Boy (Rosenblatt - Millrose) - I'm just a Smokey mountain boy / Come back to the hills I love / Where the tops of pine all bend in the wind / And the deep blue sky above / The closer and closer I get to home / The more excited I am / Those were the mornings I'd roll out of bed / Start the day off with a hot corn bread / Smothered in huckleberry jam / I'm just a Smokey mountain boy / Come back to the hills I love / Where the tops of pine all bend in the wind / And the deep blue sky above / I can almost hear the hounds running through the woods / Close on the trail of the hare / How I long to be with them following the hounds a-huntin' again / Gettin' me a big old grizzly bear / I'm just a Smokey mountain boy / Come back to the hills I love / Where the tops of pine all bend in the wind / And the deep blue sky above / I traveled around and met lots of girls / No matter how many I see / I left some pretty ones behind / I know back home is where I'll find / The girl whose love is meant for me / I'm just a Smokey mountain boy / Come back to the hills I love / Where the tops of pine all bend in the wind / And the deep blue sky above. 

There's Gold In The Mountains (Baum - Giant - Kaye) - There are lots of girls in the mountains / And they're worth their weight in gold / When they're in my arms with their lovin' charms / A treasure chest I hold / Well there's gold in the mountains, love in the hills / I don't need no city women with their diamonds and frills / There's gold in the mountains and oh what scenery / The prettiest girls I ever did see / There's such beauty there in the mountains / You can feel your knees growin' weak / Every single boy feels the height of joy / When he climbs that mountain peak / Well there's gold in the mountains, love in the hills / I don't need no city women with their diamonds and frills / There's gold in the mountains and oh what scenery / The prettiest girls I ever did see / I said there's gold in the mountains, love in the hills / I don't need no city women with their diamonds and frills / There's gold in the mountains and oh what scenery / The prettiest girls I ever did see / I ever did see / I ever did see. 

One Boy, Two Little Girls (Baum - Giant - Kaye) - One boy, two little girls / Three hearts yearning for love / Although it's hard to explain / I know it may sound insane / But this one boy loves two little girls / Folks say three is a crowd / To each boy, one girl's allowed / But right now I'm having such fun / I just can't give up either one / 'Cos this one boy loves two little girls / There will come a time, I'll have to settle down / But until that time I love two girls hanging around / Now one day I must decide which one I'll choose for my bride / But till we three must part / I've twice as much love in my heart / Cos this one boy loves two little girls. 

Catchin' On Fast (Baum - Giant - Kaye) - Won't you show me how to kiss / Put your lips on mine / Do you do it just like this / Tell me I'm doing fine / We got a good thing going now take your time / Come on and make it last / Love may be new to you but Oooh, I'm catchin' on fast / Give, give, gimme all you've got to give / Love, love, love every moment you live / Now you've taught me all you know / Have I passed the test / Show me all you've got to show / Baby you're the best / But tell me I've learned quickly and I know each trick / I'm sure love's gonna last / Love maybe new to you but Oooh I'm catchin' on fast. 

Tender Feeling (Baum - Giant - Kaye) - I can't conceal the tender feeling / Now that you are close to me / I look at you with tender feeling / And can't help kiss you tenderly / I offer you a true devotion / All life through my love I vow / For this is real, this sweet emotion / This tender feeling I have now / Somehow I knew from the moment our lips first met / You'd be the girl I could never forget / No other love could be appealing / I loved you right from the start / And with each kiss I'll keep revealing / The tender feeling in my heart.

Anyone (Could Fall In Love With You) (Benjamin - De Jesus - Sol Marcus) - Anyone could fall in love with you / Anyone who knows you as I do / Anyone could fall in love with you / And I love you my darling / Anyone could lose his heart like me / Anyone who has eyes that can see / Anyone could fall in love like me / And I love you my darling / You're the star I reached for / You're a dream so rare / You're my greatest treasure / Nothing can compare / Anyone could want you for his own / Anyone not only mine alone / Anyone could fall in love with you / And I love you my darling / Anyone could fall in love with you / And I love you my darling.

Barefoot Ballad (Dolores Fuller - Larry Morris) - I want a barefoot ballad yes a barefoot ballad / Won't you play for me a down home country song / 'Cause when I kick my shoes off and I kick my blues off / With a barefoot ballad you just can't go wrong / Give me a honk-tonk fiddle with a guitar in the middle and a melody / Humming like a fountain swinging out on Smokey mountain / I want a barefoot ballad yes a barefoot ballad / Won't you play for me a down home country song / 'Cause when I kick my shoes off and I kick my blues off / With a barefoot ballad you just can't go wrong / Now the big toe's connected to the two toe / And the two toe's connected to the three toe / And the three toe's connected to the four toe / And the four toe's connected to the five toe / And the five toe and away we go / I want a barefoot ballad yes a barefoot ballad / Won't you play for me a down home country song / 'Cause when I kick my shoes off and I kick my blues off / With a barefoot ballad you just can't go wrong / Now the big toe's connected to the two toe / And the two toe's connected to the three toe / And the three toe's connected to the four toe / And the four toe's connected to the five toe / And the five toe and away we go / I wanna barefoot ballad yes a barefoot ballad / Won't you play for me a barefoot ballad song. 

Once Is Enough (Sid Tepper - Roy C. Bennett) - All you got is one life / Living once can be rough / But if you live every day all the way / Once is enough / You can own just one suit / Worn and torn at the cuff / But if you're livin' the life that you love / Once is enough / What's the good of reaching ninety / If you waste eighty-nine / You got one life so live it / If you don't it's a crime / Life's a playful puppy / You can grab by the scruff / And if you live every sec' what the heck / Once is enough / Never wait until tomorrow / What if it never comes / Life is a seven layer / Don't you settle for crumbs / Life's a playful puppy / You can grab by the scruff / And if you live every sec' what the heck / Once is enough / And if you live every sec' what the heck / Once is enough / And if you live every sec' what the heck / Once is enough. 

Kissin' Cousins (Fred Wise - Randy Starr) - Well I've got a gal, she's as cute as she can be / She's a distant cousin but she's not too distant with me / We'll kiss all night / I'll squeeze her tight / But we're kissin' cousins 'n that's what makes it all right / All right, all right, all right / Oh I've got a girl and she taught me how to live / She can give a lot and she's got a lot to give / We'll kiss all night / I'll squeeze her tight / But we're kissin' cousins 'n that's what makes it all right / All right, all right, all right / Yes we're all cousins, that's what I believe / Because we're children of Adam and Eve / I got a girl and she wants a lot of love / That's the kind of trouble I need plenty of / We'll kiss all night / I'll squeeze her tight / But we're kissin' cousins 'n that'll make it all right / All right, all right, all right / We'll be kissin' cousins that'll make it all right / All right, all right, all right / Yes we're all cousins, that's what I believe / Because we're children of Adam and Eve / I got a girl and she wants a lot of love / That's the kind of trouble I need plenty of / We'll kiss all night / I'll squeeze her tight / But we'll be kissin' cousins 'n that'll make it all right / All right, all right, all right / We'll be kissin' cousins that'll make it all right / All right, all right, all right / We'll be kissin' cousins that's what makes it all right / All right, all right, all right.

Echoes Of Love (Bob Roberts - Paddy McMains) - Though you are gone, I still wear your ring / They're playing the song we used to sing / Echoes of love, echoes of love / Are coming to me out of the past / The letters you wrote I treasure them so / And I hear your voice wherever I go / Echoes of love, echoes of love / Are coming to me out of the past / In the rustle of a breeze; in the patter of the rain / In the rushing of the seas, all I hear is your name / Come back my love and once you are near / Darling I know no more will I hear / Echoes of love, echoes of love / 'cause you'll be with me right in my heart / Echoes of love, echoes of love / Cause you'll be with me right in my heart.

(It's A) Long Lonely Highway (Doc Pomus - Mort Shuman) - It's a long lonely highway when you're travellin' all alone / And it's a mean old world when you got no-one to call your own / And you pass through towns too small to even have a name, oh yes / But you gotta keep on goin', on that road to nowhere / Gotta keep on goin', though there's no-one to care / Just keep movin' down the line / It's a long lonely highway without her by my side / And it's a trail full of teardrops that keep on being cried / My heart's so heavy it's a low down dirty shame oh yes / You gotta keep on goin', on that road to nowhere / Gotta keep on goin', though there's no-one to care / Just keep movin' down the line / I gotta rock for my pillow 'neath a weeping willow / And the cool grass for my bed / My drinking water's muddy so don't you tell me buddy / That I wouldn't be better off dead / It's a long lonely highway gettin' longer all the time / And if she don't come and get me / Well, I'm gonna lose my mind / So if you read about me tell her she's the one to blame, oh yes / You gotta keep on goin', on that road to nowhere / Gotta keep on goin', though there's no-one to care / Just keep movin' down the line / Movin' down the line / Movin' down the line.

domingo, 6 de abril de 2014

Kissin' Cousins

Imagine-se em 1964. Nas rádios só tocam Beatles o dia inteiro. A Beatlemania está no ar. Só se fala nos quatro cabeludos ingleses. Eles estão na crista da onda. Seus álbuns vendem milhões e eles ocupam todas as primeiras posições de todas as listas de mais vendidos dos Estados Unidos. Ok, você é um fã de Elvis Presley e todos dizem que apenas ele, Elvis, poderia fazer frente a essa verdadeira invasão britânica nas paradas de sucesso. E então quando você vai na loja comprar seu novo disco encontra isso. A trilha sonora de um filme chamado "Primos Beijoqueiros"! Nada animador não é mesmo?

Mas você é fã e torce para que essa trilha seja competitiva e se torne uma reação do grande Elvis contra a invasão Beatles mas... quando chega em casa e coloca a agulha no vinil vem a decepção! O material é uma droga! Elvis cantando sobre caipiras, dedões do pé descalços e gente que come gambá no jantar! É demais da conta não é mesmo? E no dia seguinte chega o jornal com a opinião dos críticos sobre o disco: um festival de chacotas e piadas com o material que o (ex) Rei do Rock lançava no mercado. Não deve ter sido fácil ser fã de Elvis Presley nos anos 60 em pleno auge da Beatlemania. As fãs dos Beatles inclusive levantavam cartazes dizendo: "Viva os Beatles! Elvis já morreu!". Bom, não há como negar que artisticamente ele realmente estava mortinho da silva por essa época.

Olhando para trás, mesmo sendo a trilha sonora de um filme medíocre do ponto de vista cinematográfico, "Kissin' Cousins" poderia trazer um material de qualidade. Pense bem, se o tema do filme era sobre caipiras porque não encaixar canções country de qualidade? Afinal de contas de country obviamente Elvis entendia e muito! Mas canções de qualidade custavam caro e os produtores de "Kissin' Cousins" já tinham decretado que todos os custos deveriam ser cortados ao máximo possível. Quer entender a situação melhor? O filme e a trilha juntos custaram menos de 800 mil dólares para serem produzidos. O filme anterior de Elvis, "Roustabout" na Paramount, tinha custado mais de três milhões de dólares. Os produtores do filme tinham plena consciência que os fãs de Elvis iriam comprar o disco e depois veriam o filme, mesmo que fossem verdadeiras porcarias baratas. Afinal o que importava era o lucro fácil.

Quase toda a trilha sonora foi composta pelo trio Bernie Baum, Bill Giant e Florence Kaye. Nem os culpo muito. A coisa funcionava mais ou menos assim. O roteirista percebia que havia uma cena em que Elvis e sua tropa subiriam a montanha para encontrar a caipirada. Então sentia que uma canção poderia ser encaixada lá. Ligava para o trio em Nova Iorque, dizia como era a cena e eles tinham que se virar para compor uma nova canção praticamente da noite para o dia. Pode uma coisa dessas ter realmente qualidade? No geral o material todo é bem fraco mas os anos passados me fizeram ter uma opinião um pouco melhor do que ouvimos. As canções, é óbvio, continuam bem bobinhas e derivativas mas se você conseguir esquecer que ali está um dos maiores talentos musicais de todos os tempos poderá até mesmo se divertir pelo menos.

Como acontecia com praticamente todas as suas trilhas sonoras aqui também não existe o bravo rock ´n´ roll. São canções pop açucaradas bem ao gosto de Hollywood dos 60´s. As letras chegam a ser preconceituosas contra caipiras em geral. Pense, ao invés de trazer música caipira de qualidade (o que seria bem-vindo) o que acabamos ouvindo é música fake californiana satirizando sulistas em geral. É como se cariocas fizessem músicas de forró satirizando os nordestinos! Sente o drama? A questão porém é que a trilha sonora de "Kissin' Cousins" é tão estupidamente burra e idiota que no final das contas você acaba se divertindo com o resultado. As letras em geral são horríveis mas elas são as responsáveis pelos momentos realmente divertidos do disco.

"Barefoot Ballad", por exemplo, é um clássico da ruindade dentro da discografia de Elvis Presley. Ela chegou a ser gravada até por Raul Seixas, que sendo um grande gozador e fã de Elvis, resolveu tirar uma onda. "Once Is Enough" ficou infame por causa da cena do filme em que um casal tropeça, cai no chão e a cena continua. O exemplo máximo da pobreza artística do filme que foi rodado em menos de duas semanas, tudo em take único, para economizar grana na produção. Elvis percebeu a picaretagem e dizem ficou de cara feia nos bastidores durante toda a filmagem. Ele deveria era dar dado no pé de uma coisa dessas. Mas nada presta? Bom, tem alguns momentos que valem um pouquinho a pena. Gosto das baladas "Tender Feeling" e "Echoes of Love" (embora essa última seja uma bonus song). O mesmo vale para a boa "(It's a) Long Lonely Highway" que seria usada mais uma vez em outro filme trash de Elvis.  

As duas versões de "Kissin' Cousins" possuem melodias até bonitinhas mas como sempre as letras são bobas demais para ganharem qualquer tipo de elogio. "Catchin' On Fast" não é tão ruim mas os assovios de "Smokey Mountain Boy" são puras banalidades. "One Boy, Two Little Girls" tem até uma boa vocalização de Elvis mas no geral é outra bobagem pop sem qualidade. Ao final da audição você realmente se chateia pelo fato de Elvis ter sido colocado para cantar canções tão sem expressão. O incrível é que seu talento e sua fama ainda fizeram um feito e tanto colocando o disco na oitava posição entre os mais vendidos - mas bem longe dos números dos Beatles que reinavam absolutos e nem viam sinais de Elvis pelo retrovisor nos primeiros lugares que ocupavam. Afinal ele era Elvis mas não era mágico, como alçar aquele tipo de coisa ao topo? Aquelas músicas fraquinhas tinham um limite e Elvis as levou ao máximo do que se podia fazer com elas.

Elvis Presley - Kissin' Cousins (1964)
Kissin' Cousins (Number 2)
Smokey Mountain Boy
There's Gold in the Mountains
One Boy, Two Little Girls
Catchin' On Fast
Tender Feeling
Anyone (Could Fall in Love with You)
Barefoot Ballad
Once Is Enough
Kissin' Cousins
Echoes of Love
(It's a) Long Lonely Highway

Pablo Aluísio e Erick Steve.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Com Caipira Não se Brinca

Título no Brasil: Com Caipira Não se Brinca
Título Original: Kissin' Cousins
Ano de Produção: 1964
País: Estados Unidos
Estúdio: Four-Leaf Productions, MGM
Direção: Gene Nelson
Roteiro: Gerald Drayson Adams, Gene Nelson
Elenco: Elvis Presley, Arthur O'Connell, Glenda Farrell

Sinopse:
A Força Aérea americana decide construir uma base de mísseis balísticos numa montanha distante e isolada do Tennessee mas encontra resistência dos caipiras locais que não querem nem ouvir falar no governo. Assim o comando resolve enviar o tenente Josh Morgan (Elvis Presley) para a região para tentar convencer a caipirada a arrendar a montanha para os interesses militares da US Air Force.

Comentários:
Esse foi o primeiro filme reconhecidamente bem ruim da filmografia de Elvis. Quando ele assinou com a MGM um contrato de longos sete anos o estúdio para baratear seus filmes resolveu terceirizar as produções para pequenas companhias, que geralmente bancavam orçamentos bem mais modestos. Assim a MGM só iria se preocupar mesmo com a distribuição e divulgação das películas. Era uma maneira de lucrar mais com os musicais estrelados por Elvis. "Kissin' Cousins" segue bem por essa linha. Praticamente todo filmado dentro de um estúdio que imitava as montanhas do Tennessee, o filme não consegue ficar na média nem mesmo dos outros filmes do cantor. Há diversos erros técnicos (como sombras das câmeras se refletindo no próprio Elvis ou bailarinos caindo uns por cima dos outros em cenas de dança). O roteiro trata os caipiras de uma forma bem pejorativa, pois eles são retratados como sujeitos toscos que moram em montanhas, não usam calçados e não possuem qualquer noção sobre quase nada. No jantar comem cozidos de gambás! As garotas andam descalças, com os pés sujos e um monte delas, chamadas Kittyhawks, formam bandos de mulheres desesperadas atrás de homens (é simplesmente hilária de tão absurda uma cena em que Elvis desce as montanhas correndo de uma verdadeira multidão de garotas loucas para rasgarem suas roupas!). Como se isso não fosse apelação suficiente a partir de determinado momento as Kittyhawks começam a andar só de biquínis pelas montanhas (coisa de louco!), certamente para provocar o público masculino que ia aos cinemas conferir essa "obra cinematográfica"! Sutileza em "Kissin' Cousins"? Esqueça...

Em outro momento do enredo o personagem de Arthur O'Connell explica que existem poucos homens nas montanhas e por isso a mulherada deseja fazer bebês antes que fiquem velhas demais para isso (fico imaginando as feministas de hoje em dia encarando um diálogo sem noção desses!). Elvis interpreta dois personagens, o oficial da força aérea e um caipira das montanhas, primo distante dele. Para diferenciar ambos um dos personagens é loiro (o que coloca Elvis em situações constrangedoras ao ter que usar uma peruca loira completamente falsa). O militar é mais polido enquanto que o caipirão é um chucro que sai na mão com todo mundo (até com suas própria mãe que lhe dá um golpe que o leva ao chão em segundos!). Curiosamente quando Elvis encontrou o presidente Nixon na Casa Branca esse lembrou justamente desse filme! Elvis então não perdeu o pique e falou para o presidente que atuar em "Kissin' Cousins" tinha sido um "grande desafio de interpretação!". Claro que não foi, Elvis aí contou uma grande balela. O roteiro não desenvolve nenhum personagem e tudo é mero pretexto para Elvis ir cantando as (até boas) canções da trilha sonora. Nada de novo no front a não ser mesmo a visão maniqueísta e caricata dos pobres caipiras sulistas dos Estados Unidos. Admira mesmo é Elvis ter embarcado nesse projeto até porque ele próprio era um caipira do Tennessee, que o roteiro do filme insiste em satirizar, algumas vezes de forma até ofensiva. Em suma, não era de se esperar muito de um filme chamado "Primos Beijoqueiros" (tradução literal do título original) mas a MGM também não precisava exagerar na falta de capricho e qualidade. Se Elvis Presley tinha mesmo alguma esperança de ser levado à sério como ator em Hollywood esse "Kissin' Cousins" marcou o começo do fim de suas pretensões.

Pablo Aluísio e Erick Steve.

sábado, 29 de março de 2014

Elvis 1964 - Carrossel de espiritualidade

Em rara entrevista após o lançamento de Roustabout (Carrossel de Emoções) Elvis defendeu seus filmes e sua carreira no cinema: "Intelectuais me dizem que tenho que progredir como ator, tomar desafios e tudo o mais. Eu gostaria de progredir, mas aprendi a não ir além dos meus limites. Talvez um dia eu faça um filme de arte ou algo parecido, mas não agora. Já fiz onze filmes e todos deram dinheiro e foram bem nas bilheterias. Eu seria um tolo se mudasse o rumo da minha carreira". Anos depois ele se arrependeria dessas declarações...

Em fevereiro de 1964 a A RCA lançou o single "Kissin Cousins / It Hurts Me". A música "Kissin Cousins" foi lançada para promover o filme "Com Caipira não se Brinca". Já "It Hurts Me" de autoria da dupla Byers e Daniels acabou se tornando mais uma de suas belas canções que foram pessimamente lançadas pela RCA sem promoção alguma. Sabe aquela música que só não fez sucesso porque foi lançada na época errada e da forma errada? Pois esse é o caso dessa belíssima balada que foi gravada em 1964, na última sessão sem ser de trilhas até maio de 1966. Qualidades artísticas não lhe faltavam mas seu lançamento foi completamente equivocado. Lançada no auge da Beatlemania, renegada ao obscuro lado B de um single sem importância, acabou afundando na lista dos mais vendidos da Billboard. Alcançou apenas o 29º lugar nas paradas. Uma pena, pois Elvis a canta com convicção e possui ótima letra. A versão do especial de 1968 é igualmente boa. O segredo dessa música é que ela conseguiu ser bonita sem ser piegas.

Embora seus discos estivessem derrapando nas paradas de sucessos, o próprio Elvis não parecia muito interessado com o que estava acontecendo. Por essa época ele começou a freqüentar uma academia espiritualista em Pasadena (Califórnia), fundada em 1952 por Paramahansa Yogananda, o autor de "Autobigrafia de um Yogue". Esse "Shangrilá" ficava no topo de uma montanha, onde havia um hotel, e pelos gramados mulheres caminhavam vestidas com sáris coloridos. Existia também um jardim para meditação, que Elvis imediatamente duplicou em Graceland. No sopé da montanha havia uma cidadezinha totalmente cercada, onde ficavam os alojamentos dos irmãos e irmãs que viviam em celibato, em perpétua meditação. Quando soube que essa área lhe era proibida, Elvis não resistiu ao impulso de se declarar um celibatário e conhecer o misterioso lugar.

Nessa montanha ele conheceu uma moça que se dizia chamar Daya Mata e que era uma das discípulas de Paramahansa. No primeiro encontro que teve com ela Elvis pediu que lhe ensinasse os segredos da Kriya Yoga, o último degrau da escala de auto realização. Daya Mata lhe aconselhou humildade, paciência e perseverança. Em troca Elvis ofereceu dinheiro, que ela aceitou agradecida em nome da fundação espiritualista.

Mas nem toda a espiritualidade foi capaz de fazer com que Elvis controlasse seu terrível temperamento. Até mesmo quando acabava de sair de uma sessão com Daya Mata, Elvis era capaz de atos de irracional violência. Uma vez ele estava voltando para casa e passou por um posto de gasolina na encosta da montanha, onde dois empregados estavam boxeando de brincadeira. Elvis ordenou que sua limusine entrasse no posto e, abrindo sua janela, fez um discurso para os brigões, dizendo a eles que deviam abraçar o amor e não a hostilidade. Assim que o carro arrancou, um dos sujeitos lhe fez o clássico sinal de "vá se f*", isto é, o dedo médio erguido com a mão fechada. Instantaneamente o carro brecou, Elvis desceu, aproximou-se do primeiro empregado e lhe aplicou um golpe de Karatê que o jogou longe. Em seguida sacou seu revólver 38 do coldre sob o braço e estava pronto para atirar no segundo sujeito, quando Hamburguer James chegou correndo e gritando: "Me dá essa arma!". Automaticamente, Elvis virou-se e entregou o revólver ao seu valete real. Num segundo, todos estavam de volta ao carro, que saiu em disparada.


terça-feira, 25 de março de 2014

10 curiosidades sobre Roustabout que você não sabia!


1. O filme teve um orçamento total de 3 milhões de dólares e foi concluído três dias antes do previsto.
2. Foi o vigésimo oitavo filme mais visto nos EUA em 1964.
3. Foi o primeiro filme da carreira de Raquel Welch que interpreta uma das figurantes colegiais no Tea House.
4. Elvis pilota uma moto da marca Honda 305 Superhawk no filme. Ela quebrou três vezes durante as filmagens.
5. O estúdio queria inicialmente Mae West para a personagem que seria interpretada por Barbara Stanwyck. O roteiro foi enviado a Mae mas ela achou o roteiro fraco demais e recusou.
6. A Paramount queria um dublê nas cenas em que Elvis dirige sua moto mas o cantor disse que não era preciso. Apenas nas cenas mais perigosas do globo da morte é que uma equipe especial de dublês foi utilizada.
7. Na cena de "It's A Wonderful World" Elvis se aborreceu pois não conseguia ouvir sua própria gravação para sincronizar sua dublagem com a música que estava sendo tocada.
8. O casaco de couro usado no filme era do próprio Elvis que recusou o figurino providenciado pela Paramount por achá-lo muito apertado.
9. Richard Kiel, o grandalhão que ficaria famoso como o vilão "Jaws" da série James Bond faz uma aparição não creditada como o fortão do parque de diversões onde Elvis trabalha.
10. Durante um bate papo informal com a imprensa no set de filmagens Elvis declarou que o filme era uma adaptação da vida real de seu empresário Tom Parker. Ele estava enganado. O roteirista  Anthony Lawrence escreveu a primeira versão para ser estrelada por Tony Curtis e Mae West ainda nos anos 50. Apenas anos depois foi que Allan Weiss adaptou o enredo para finalmente Elvis estrelar o filme.

Pablo Aluísio.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Letras - Roustabout

Roustabout (Giant / Baum / Kaye) - I'm just a roustabout / Shifted from town to town / No job can hold me down, I'm just a knock-around guy / There's a lot of space beneath that sky / Till I find my place there's no doubt... / I'll be a rovin' roustabout / Call me the carefree kind / I wander with the breeze / My mind and heart's at ease / Doing what pleases me best / Gotta keep-a movin' east or west / Till I find my place there's no doubt / I'll be a rovin' roustabout / And even if a pretty girl, should catch my eye / I'll give her a quick "hello", and a fast goodbye / I'll go the way I want / Driftin' just like the sand / Doin' what job I can / Changing my plans as I choose / Long as I keep happy I can't lose / Till I find my place there's no doubt / I'll be a rovin' roustabout / I'll be a rovin' roustabout...I'll be a rovin' roustabout / I'll be a rovin' roustabout..rovin', rovin' roustabout....

Little Egypt (Leiber / Stoller) - I went and bought myself a ticket / And I sat down in the very first row / They pulled the curtain / But then when they turned the spotlight way down low / Little Egypt came out a-struttin' / Wearin' nothin' but a button and a bow / Singing, ying-ying, ying-ying / Ying-ying, ying-ying / She had a ruby on her tummy / And a diamond big as Texas on her toe / She let her hair down / And she did the hoochie-coochie real slow / When she did her special number on the zebra skin / I thought she'd stop the show / Singing, ying-ying, ying-ying / Ying-ying, ying-ying / She did her triple somersault and when she hit the ground / She winked at the audience and then she turned around / She had a picture of a cowboy tattooed on her spine / Said, Phoenix, Arizona 1949 / Yeah, but let me tell you people / Little Egypt doesn't dance there anymore / She's too busy mopping / And a-takin' care of shopping at the store / 'Cause we've got seven kids / And all day long they crawl around the floor / Singing ying-ying, ying-ying / Ying-ying, ying-ying 

Poison Ivy League (Giant / Baum / Kaye) - Hail to thee old ivy league / Poison ivy league / The ra-ra boys are sitting round the table tonight / The ra-ra boys have lots of plans in view / They're gonna have panty raids / And make their own lemonade / They'll live it up just like the big boys do / Poison ivy league, boys in that ivy league / Give me an itch, those sons of the rich / That poison ivy league / The ra-ra boys will go to bed so early tonight / Before exams they need a lot of rest / They gotta make good for dad / They gotta make good so bad / They'll even pay someone to take that test / Poison ivy league, boys in that ivy league / How can they flunk, they're so full of bunk / That poison ivy league / The ra-ra boys are being groomed for business some day / For better things to college they were sent / And you can bet they'll be the head of the company / As long as dear old daddy's president / Poison ivy league, boys in that ivy league / So loaded with cash, they give me a rash / That poison ivy league / So let it be told / I won't touch them with a ten foot pole / That poison Ivy league

Hard Knocks (Byers) - Some kids born with a silver spoon / I guess that I was born a little too soon / Hard knocks, all I ever knew was hard knocks / And I'm telling you, I said you'd better beware / 'Cause I've had my share /  Some kids born as rich as a king / But I was born without a doggone thing / Hard knocks, all I ever knew was hard knocks / And I'm telling you, I said you'd better beware / 'Cause I've had my share / I walked a million miles I bet / Tired and hungry and cold and wet / I've heard that lonesome whistle blow / From New York City down to Mexico / Some kids born fancy free / Nobody never gave nothing to me but / Hard knocks, all I ever knew was hard knocks / And I'm telling you, I said you'd better beware / 'Cause I've had my share /  I walked a million miles I bet / Tired and hungry and cold and wet / I've heard that lonesome whistle blow / From New York City down to Mexico / Some kids born fancy free / Nobody never gave nothing to me but / Hard knocks, all I ever knew was hard knocks / And I'm telling you, I said you'd better beware / 'Cause I've had my share / I said you'd better beware / 'Cause I've had my share / I said you'd better beware / 'Cause I've had my share of hard knocks 

It's A Wonderful World (Tepper / Bennett) - Young as a circus parade, it's a wonderful world / Pretty as pink lemonade, it's a wonderful world / Life is a carnival, live it for all your worth / You are the star of the greatest show on earth / This big wide world is a clown with his nose painted red / A rainbow colored balloon's dancing high overhead / It's everyone's oyster, step up get your pearl / It's a wonderful, wonderful, wonderful, wonderful world / This big wide world is a clown with his nose painted red / A rainbow colored balloon's dancing high overhead / It's everyone's oyster, step up get your pearl / It's a wonderful, wonderful, wonderful, wonderful world / It's a wonderful, wonderful, wonderful, wonderful world 

Big Love Big Heartache (Fuller / Morris / Hendrix) - Oh yes, I know it's true / The more you fall in love / The more your heart can break in two / Now that you've said goodbye / For every tender kiss / I've had the tears I cry / I gave my heart and soul / All the love I knew / Oh how much it hurts me now / To know that we are through / I'll always feel this way / My arms will be so empty / You'll return some day and say / Your love, yes your big love / Will be here to stay / Till then it's / Your love yes your big love / Will be here to stay

One Track Heart (Giant / Baum / Kaye) - Just like an old grandfather's clock that won't stop running / Like an old racehorse that just wont ever quit / There'll be no end to loving you / Nothing can stop me once I start / 'Cos I'm a one track mind and a one track heart / Well I'm as stubborn as a mule I just won't let up / Like an old bloodhound Ill hang around your trail / There'll be no end to loving you / Don't try to stop me if you're smart / 'Cos I'm a one track mind and a one track heart / Oooo- eeeee there'll be no turning back / Oooo- eeeee I'm gonna stay on your track / Just like a choo-choo train that's gotta keep a-chugging / You'll find that I'm the kind who sticks to what I do / There'll be no end to loving you, baby we'll never be apart / 'Cos I'm a one track mind and a one track heart / Oooo- eeeee there'll be no turning back / Oooo- eeeee I'm gonna stay on your track / Just like a choo-choo train that's gotta keep a-chugging / You'll find that I'm the kind who sticks to what I do / There'll be no end to loving you, baby we'll never be apart / 'Cos I'm a one track mind and a one track heart 

It's Carnival Time (Weisman / Wayne) - Come on kids from eight to eighty / Hey there mister bring your lady / There's a big show on the inside / It's carnival time / Popcorn, peanuts and cotton candy / Pink lemonade that's dan-dan-dandy / Be a big shot for a dollar / It's carnival time / Roustabouts are roustabout'n / And there's happy shouts, children shoutin / If you've got doubts quit your doubtin' / There's thrills, it's spice / It's cheap at half the price / So don't be bashful, buy a ticket / Get the habit never kick it / Hit the band there, don't just stand there / It's carnival time / Roustabouts are roustabout'n / And there's happy shouts, children shoutin / If you've got doubts quit your doubtin' / There's thrills, it's spice / It's cheap at half the price / So don't be bashful, buy a ticket / Get the habit never kick it / Hit the band there, don't just stand there / It's carnival time / It's carnival time 

Carny Town (Wise / Starr) - Aha-ha hurry, hurry step this way / Aha-ha hurry, hurry step this way / Now the show you're going to see is strictly high class / There'll be ten hoola dancers shaking their grass / So step right up and put our money down / This way to Carny Town / We got a man so skinny you can see his bones / We play on his ribs like a xylophone / With a pair of spoons we get a rockin' song / You'll hear it all, in Carny Town / Hurry, hurry, hurry, the house is almost full / We got a two headed cow and that's no bull / There's a man who swallows swords and he never gets hurt / He eats razor blades for dessert / He's just about the sharpest guy around / You'll see him here, in Carny Town / Aha-ha hurry, hurry step this way / Aha-ha hurry, hurry step this way / Aha-ha hurry, hurry step this way / Aha-ha hurry, hurry step this way / Aha-ha I say we're gonna win / I said hurry up 

There's a Brand New Day on the Horizon (J. Byers) - There's a brand new day on the horizon / Everything's gonna be just fine / There's a brand new day on the horizon / And the whole world's gonna be mine / I'm gonna tell old trouble, he'd better be moving on / Happiness is going to take his place around here from now on / The old dark clouds are gonna roll away / The sun is gonna shine / And the whole world's gonna be mine / I'm gonna tell old heartaches, pack his bags and go / I've decided that I don't want him hanging around no more / Don't you know I said everything's gonna be just fine / 'Cause the whole world's gonna be mine / I'm gonna chase away old problems till they're out of sight / And I guarantee you honey they won't be coming back / Well don't you know I said everything's gonna be all right / 'Cause the whole world's gonna be mine / I know my luck's gonna change, just you wait and see / Startin' tomorrow only good things in life are going to come to me / There's a brand new day on the horizon / And the whole world's gonna be mine / And the whole world's gonna be mine

Wheels On My Heels (Tepper / Bennett) - Gotta do some livin', got the wanderlust / Better clear the highway 'cause I'm gonna move some dust / Oh I got wheels, wheels on my heels / And I gotta keep rollin', rolling along / Lots of pretty dollies try to fence me in / But I love 'em and leave 'em 'cause a tumbleweed's my kin / Oh I got wheels, wheels on my heels / And I gotta keep rollin', rolling along / Why do I keep movin', never settlin' down / Can it be I'm looking for a dream I haven't found / Oh I got wheels, wheels on my heels / And I gotta keep rollin', rolling along / Oh I got wheels, wheels on my heels / And I gotta keep rollin', rolling along. 

segunda-feira, 17 de março de 2014

A Beatlemania invade os Estados Unidos

Enquanto Elvis afundava em filmes fracos e no estudo do ocultismo e demais ciências esotéricas, o bravo rock'n'roll renascia com mais força ainda. Começando em 1963, quando os primeiros discos do Beatles chegaram aos Estados Unidos e culminando com a chegada dos Fab Four à América, quando foram vistos por 70 milhões de telespectadores no programa Ed Sullivan Show, o rock atingiu, no ano de 1967 um fervor messiânico. Nunca antes da história da humanidade havia algum fenômeno cultural desenvolvido tanta força e poder.

Estava na cara que algo grandioso estava acontecendo mas, para Elvis, não havia nada de novo, exceto algumas poucas músicas dos Beatles que ele gostava. Não é de se espantar, portanto, que quando os Beatles vieram aos Estados Unidos pela primeira vez, Elvis tenha recusado firmemente um encontro com os quatro cabeludos de Liverpool que aspiravam a mão de sua filha, a juventude americana, muito embora durante o programa do Ed Sullivan, os Beatles tenham recebido um telegrama de boas vindas assinado por ele, mas remetido sem o seu conhecimento pelo coronel Parker.

- "Droga, não quero me encontrar com esses fdp!" – explodiu Elvis quando o coronel lhe propôs um encontro com os Beatles no inicio de 1964

Os Beatles vão encontrar-se com Elvis

Mas o coronel não gostava de aceitar um não como resposta, principalmente de sua marionete Elvis Presley e continuou a campanha para criar a ilusão de bons sentimentos entre seu cliente e os Beatles, enviando-lhe de presente quatro conjuntos de trajes de cowboy completos, inclusive com armas de verdade.

Quando os Beatles voltaram em 1965, eles usaram essas roupas de cowboy em um de seus concertos. Era o sinal que o coronel estava esperando. Novo encontro foi proposto e, dessa vez, Elvis topou

- "Tá legal. Mas eles terão que vir até a minha casa"

Aquilo era bom demais parta ser verdade para o coronel, que ligou para Brian Epstein marcando a reunião. Nesse tempo, Elvis estava de volta à casa de Perugia Way, depois de Ter morado algum tempo em Bellagio Road.


Na noite memorável de 27 de agosto de 1965, Elvis sentou-se no sofá da sala, como sempre fazia, cercado de seus homens: Joe Esposito, Marty Laker, Billy Smith, Jerry Schiling, Alan Fortas, Sonny West, Mike Keaton e Ray Sitton. Logo chegou o coronel Parker e Tom Diskin.

Perto da 9 horas, os Beatles chegaram numa limousine preta, acompanhados por Brian Epstein, o jornalista Derek Taylor e dois guarda costas. A área estava fortemente guardada pela polícia de Los Angeles. Assim que os príncipes do rock entraram na mansão, ouviram seus discos tocando no "Jukebox". Elvis levantou-se para cumprimentá-los, sorrindo e John Lennon brincou:

- "Oh, aí está você!"

Apresentações formais foram feitas e todos sentaram-se no sofá; John e Paul no lado direito de Elvis e Ringo e George no lado esquerdo. Enquanto a "Jukebox"alternava os sucessos de Elvis e dos Beatles, ninguém falou nada. Os Beatles olhavam para Elvis, Elvis olhava para os Beatles. Nenhum dos caras achou que era hora de dizer alguma coisa. Nem o coronel Parker ,que permaneceu silencioso. Finalmente, depois de uns cinco minutos, Elvis não se conteve:

- "Bem, olha aqui" – protestou o rei – "Se vocês vão ficar aí sentados a noite inteira eu vou para a cama. Vamos aproveitar a noite! Podemos conversar sobre música e até tocar um pouquinho!"

Ao ouvir Elvis falar "tocar", todos os Beatles exclamaram:

- "Adoraríamos tocar com você, Elvis"

"Não consigo contar a emoção que foi ontem à noite"

O gelo estava quebrado e o grupo logo se dividiu em rodinhas; Elvis, John e Paul levavam um papo:

- "Quantos sucessos vocês escreveram até agora?", quis saber Elvis, sempre preocupado com números.

John e Paul começaram a contar como se isso tivesse alguma importância. Todavia quando chegou a vez de John Lennon perguntar, ele quis saber algo crucial:

- "Elvis, porque você não volta ao seu velho estilo musical?"

Elvis que não gravava um rock há anos, desculpou-se:

- "Bem, sabe como é... é por causa do meu esquema de filmes. É muito apertado...mas eu ainda vou gravar algum disco"

Lennon comentou:

- "Então esse eu vou comprar"

Era uma piada, mas revelava claramente o que os Beatles pensavam do trabalho musical de Elvis naquela época.

Enquanto isso Ringo jogava sinuca, rodeado pelas crianças, Tom Parker e Joe Esposito montaram uma mesa de roleta e o coronel anunciou:

- "O cassino está aberto"

Imediatamente Brian Epstein se aproximou, Brian tinha tanta curiosidade e vontade de conhecer o coronel quanto os Beatles tinham de conhecer Elvis.

Depois de dar algumas tacadas de sinuca com Ringo Starr, Elvis pegou um contrabaixo elétrico que estava aprendendo a tocar. Ordenando que os Beatles fossem equipados com instrumentos, Elvis deu início a uma animada "Jam Session". O ponto alto foi Elvis tocando baixo em "I Feel Fine', o que provocou o seguinte comentário de Paul McCartney:

- "Você está tocando baixo muito bem, Elvis!"

O encontro das estrelas durou três horas e foi um sucesso, exceto por George Harrison que não quis conversar com ninguém e se comportou como se estivesse com uma doença contagiosa. Quando chegou a hora de puxar o carro, Lennon convidou:

- "Gostaríamos que todos vocês fossem nos visitar amanhã a noite"

- "Bem, eu vou ver" – Elvis respondeu – "Não sei ainda se podemos ir ou não"

Voltando-se para os demais John falou:

- "Vocês serão bem vindos, com Elvis ou sem ele"

Os caras agradeceram, mas sem demonstrar muita vontade de ir, caso contrário poderiam desperdar os ciúmes do chefe. Mas na noite seguinte, Joe Esposito, Marty Laker, Jerry Schiling e Sonny West, conseguiram dar uma escapadinha e foram visitar os Beatles na casa em que eles estavam hospedados em Mulholland Drive. Assim que começaram a conversar com seus anfitriões, John Lennon explicou tudo com aquele seu estilo claro e contundente:

- "Deixa eu contar uma coisa para vocês. Só havia uma pessoa nos Estados Unidos da América que a gente queria conhecer. E nós a encontramos ontem à noite. Não posso dizer como nos sentimos. Nós o idolatrávamos demais. Quando chegamos na cidade, esses caras como Dean Martin e Frank Sinatra e todas essas pessoas queriam nos conhecer e ficar conosco simplesmente porque tínhamos todas as mulheres, todas as gatinhas. Não queremos encontrar essa gente. Eles não gostam de nós. E nós não os admiramos e nem gostamos deles também. A única pessoa que queríamos encontrar nos Estados Unidos da América era Elvis Presley. Não consigo contar a emoção que foi ontem à noite"

Elvis - Documento Histórico.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Carrossel de Emoções

Título no Brasil: Carrossel de Emoções
Título Original: Roustabout
Ano de Produção: 1964
País: Estados Unidos
Estúdio: Paramount Pictures
Direção: John Rich
Roteiro: Anthony Lawrence, Allan Weiss
Elenco: Elvis Presley, Barbara Stanwyck, Joan Freeman

Sinopse:
Charlie Rogers (Elvis Presley) ganha a vida pelas estradas. Em cima de sua moto, com seu eterno companheiro, o violão, na garupa, ele rasga as longas distâncias, sempre arranjando um trabalho aqui, outro acolá. Bom motociclista geralmente se apresenta no famoso número do globo da morte. Sua sorte muda porém quando esbarra literalmente com o pai de Cathy Lean (Joan Freeman). Após sua moto ser danificada ele precisa parar alguns dias no parque de diversões da família de Cathy. Mal sabe ele que está prestes a mudar seu destino para sempre.

Comentários:
Muitos reclamam do excesso de sacarina de alguns musicais de Elvis nos anos 60. Tudo bem, na maiorias das vezes ele realmente interpretou almofadinhas durante essa década no cinema mas houve algumas exceções. Uma delas aconteceu justamente nesse filme. O personagem Charlie Rogers interpretado por Elvis não era um mauricinho mas um sujeito comum, com lampejos de motoqueiro rebelde, tentando ganhar a vida pelas estradas americanas. O título em inglês, Roustabout, traz justamente a expressão usada para designar esses andarilhos, jovens sem rumo que vagavam pelos Estados Unidos em busca de trabalho e oportunidades. Elvis surge em cena pilotando uma moto, com casaco negro - em uma imagem que nos remete imediatamente aos personagens durões do cinema rebelde dos anos 50. Certo que não chegamos ao ponto de ver um novo Johnny (o personagem de Brando em "O Selvagem") em cena mas o papel de Elvis tem sua dose de rebeldia e perigo. Foi uma clara tentativa dos roteiristas em trazer algum tipo de rebeldia para Elvis nos cinemas - já que a crítica vivia pegando em seu pé por isso. O filme tem seus momentos. Há um argumento válido, personagens secundários interessantes, um bom elenco de apoio que conta inclusive com a presença marcante da veterana Barbara Stanwyck e uma trilha sonora agradável, cheia de boas canções. Credito todos esses méritos ao fato de ser um filme da Paramount, com produção de Hal Wallis, que sempre trazia ao público algo digno, mantendo um padrão de qualidade bastante coeso. "Roustabout" é um prazer sem culpas e o último suspiro da rebeldia de Elvis Presley no mundo do cinema. Por isso é um filme que vale a pena ser prestigiado pelos fãs do cantor.

Pablo Aluísio e Erick Steve.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...