Home » » Elvis Presley, Shows, 1956

Elvis Presley, Shows, 1956

Em 1956 Elvis trabalhou muito. As pessoas geralmente pensam que a fama vem de forma gratuita e espontânea. Nada mais longe da realidade. No ano em que estourou nacionalmente Elvis realizou longas turnês cruzando os EUA praticamente de ponta a ponta, tocando em lugares diversos, um show por noite, geralmente com pouco tempo de descanso entre as apresentações. Viajando de carro na maioria das vezes – pois odiava viajar de avião – Elvis cruzou grandes distâncias para se apresentar nos mais distantes lugares. Sua agenda ficou lotada e Elvis de forma profissional começou a cumprir seus compromissos. Em janeiro cumpriu uma agenda puxada pelo Texas, Missouri e Louisiana. Em fevereiro a mesma coisa, 21 concertos em 30 dias, um recorde absoluto!

Nos meses seguintes as maratonas continuaram sem descanso. Algumas coisas chamam a atenção nesses dias na estrada. A primeira é que o Coronel Parker cometeu alguns erros que até hoje despertam a curiosidade dos especialistas. Ao invés de levar Elvis logo para os grandes centros urbanos como Nova Iorque ou Los Angeles para uma série de concertos em grande escala, o que seria natural para um artista que estava naquele momento se tornando um ídolo nacional, Parker agendou para Elvis uma interminável série de apresentações por cidades do interior. Esse modus operandi iria se repetir de certa forma até mesmo na década de 70. Isso foi bom ou ruim para Elvis? Em termos financeiros seria bem melhor fazer poucos shows com um público enorme em grandes centros pois a repercussão seria bem maior. Porém em termos de aproximação do ídolo com seu público, mesmo aquele morando em lugares distantes, a estratégia acabou sendo positiva pois por onde Elvis passava nesses lugares jamais era esquecido depois. Assim no auge de seu sucesso ao invés de Elvis estar em Nova Iorque se apresentando para uma grande massa ele estava em Randolph, Missouri, tocando em um colégio de high school.

Por falar em Nova Iorque Elvis esteve na cidade várias vezes durante o ano de 1956 mas foi para lá para se apresentar nos programas de TV ou gravar músicas para a RCA em seu estúdio local. Por que não se apresentou ao vivo por lá também? Só mais tarde, depois de muito assédio por parte de empresários é que o Coronel Parker agendou shows em cidades melhores. Em abril Elvis finalmente saiu de sua zona de conforto, formado pelos Estados do Sul onde se encontrava seu público mais fiel, para ir finalmente para a costa oeste onde havia maiores centros urbanos e um público mais sofisticado. Fez uma apresentação em San Diego. E foi somente em junho que ele finalmente se apresentou ao vivo em Los Angeles para cantar pela primeira vez ao público da cidade no Shrine Auditorium. Na ocasião se apresentou para várias estrelas de Hollywood que foram conferir se ele era mesmo tudo o que diziam no palco. Esse show também foi uma forma encontrada pelo Coronel Parker para entrosar o cantor com a comunidade artística local. Esses concertos porém foram exceções à regra e logo Elvis estava de volta ao sul para continuar com seus shows em lugares como Savannah, Augusta e Richmond. De todas essas apresentações a que mais lhe marcou ocorreu em 4 de julho, dia da independência dos EUA, quando se apresentou em sua querida Memphis, no Russwood Baseball Park. Muitos familiares e amigos queridos vieram assistir ao show e confraternizaram com ele depois nos camarins. Elvis estava felicíssimo em cantar na cidade para um grande público. Além disso a data era uma de suas preferidas, pois sempre a celebrava com muitos fogos e animação com as pessoas mais próximas a ele.


O ano de compromissos foi terminando. Elvis realizou uma turnê muito bem sucedida pela Florida em agosto, culminando com uma importante apresentação numa das mais musicais cidades americanas, New Orleans, na Louisiana. Era um teste de fogo pois praticamente todos em New Orleans são envolvidos de uma forma ou outra com o cenário musical e lá Elvis tinha realmente que fazer uma boa apresentação, mostrar serviço. Seu show agradou, inclusive á população negra local, de uma musicalidade ímpar. O ano de correria terminou oficialmente para Elvis no dia 15 de dezembro quando finalmente se despediu do Louisiana Hayride, em Shreveport. O saldo final do ano foi muito positivo. Elvis trabalhou demais, viajou como nunca em sua vida, conheceu outros públicos, outros ares e conseguiu consolidar sua fama e sucesso em nível nacional. Tanto esforço e trabalho resultaram em um retorno financeiro excepcional. Em dezembro o Wall Street Journal informou que Elvis tinha se tornado um dos artistas mais bem pagos dos EUA naquele ano com renda bruta total de US$ 22 milhões de dólares. Nada mal para alguém que só tinha 21 anos de idade. Em pouco mais de um ano Elvis Presley havia se tornado o mais novo milionário do país. Nada mais justo para quem ganhou sua fortuna com muito esforço e trabalho duro. O futuro prometia ser de muitas glórias e êxitos porém Elvis em pouco tempo logo teria alguns dissabores. Mas essa é uma outra história...

Pablo Aluísio.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Elvis News - Elvis: A Life In Music / Um Grammy para Jailhouse Rock / Novos CDs / Robbie Williams e Elvis

Elvis: A Life In Music - Está sendo lançado em países de língua alemã o famoso livro escrito por Ernst Jorgensen intitulado "Elvis: ...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates