Home » » Elvis Presley e Lizabeth Scott

Elvis Presley e Lizabeth Scott

Dolores Hart, Elvis Presley e Lizabeth Scott
Quando Elvis chegou em Hollywood para finalmente estrelar Loving You o produtor Hal Wallis o apresentou imediatamente para a atriz Lizabeth Scott. Naquela altura ela já era uma veterana das telas, tendo estreado no cinema na década de 40. Scott era uma revelação do produtor que tentou por vários anos a transformar numa estrela. Seu plano era muito simples, transformar Lizabeth Scott numa nova Elizabeth Taylor. Ambas tinham origem inglesa e um porte elegante, assim Wallis acreditava que a escalada rumo ao topo seria apenas questão de tempo. Sempre a escalando em seus filmes ele foi tentando abrir caminho para sua pupila mas as coisas não pareciam dar muito certo. A imprensa de Hollywood satirizou porque Wallis queria transformar Lizabeth Scott numa segunda Lauren Bacall, uma versão loira da grande estrela da MGM. Ele a preparou, contratou publicitários, promoveu mas ela nunca conseguiu se firmar como chamariz de público. Nunca teve a vocação para as marquises dos cinemas.

Assim quando foi escalada para atuar ao lado de Elvis ela já sabia que nunca iria alcançar os picos da fama e da glória. Sua idade já não permitia ter esse tipo de sonho. Mesmo assim Wallis nunca a abandonou e continuou escalando a loira para vários filmes, inclusive Loving You, o musical que faria para promover seu recém contratado, o cantor jovem Elvis Presley. Lizabeth traria experiência ao filme. Elvis e Dolores Hart eram muito jovens, com pouco mais de 20 anos e não poderiam sustentar um filme daquele porte sozinhos. Assim Lizabeth vinha para contrabalancear a inexperiência do casal e trazer um pouco mais de conteúdo dramático nas cenas. Logo no começo ela se deu muito bem com Elvis. No começo pensou que por causa de sua fama e sucesso ele poderia ser um daqueles astros jovens de Hollywood cheios de si, arrogantes ao extremo. Mas não foi isso o que ocorreu. Elvis sempre pareceu prestativo e atento em suas dicas de interpretação. Ao invés de se comportar como um arrogante, Elvis foi inteligente e procurou aprender com a atriz, que sempre surgia dando palpites e dicas para ele. Entre uma cena e outra Lizabeth ensaiava com Elvis as falas, a postura, a forma de agir diante das câmeras.

As filmagens foram tranquilas, sem sobressaltos. Se dentro do set tudo corria em paz, fora dele as coisas eram bem mais complicadas. Na época Lizabeth Scott tinha que lidar com muitos problemas, inclusive em sua vida pessoal. Havia uma série de boatos afirmando que na verdade ela era lésbica. Dentro do meio cinematográfico sua suposta homossexualidade já era bem conhecida. Ela seria assim uma das mais famosas lésbicas de Hollywood na era clássica. A grande preocupação era que esse seu segredo fosse divulgado ao grande público o que arruinaria sua reputação e carreira. Revistas de escândalos como a Confidential estavam no pé da atriz durante as filmagens de Loving You. Hal Wallis sabia dos riscos mas resolveu apoiar sua intérprete. Havia sempre uma tensão no ar quando um novo número da revista chegava nas bancas. A ansiedade e o medo parecem ter sido decisivos para uma decisão radical tomada pela atriz após as conclusões das filmagens. Assim que o diretor gritou "corta" pela última vez ela se reuniu com Wallis nos camarins e lhe comunicou que era o fim. Não mais atuaria no cinema, estava farda de tanta pressão e tensão. Ela não queria mais ser pressionada, nem ser alvo de fofocas. Queria viver sua vida privada em paz, ser feliz acima de tudo. Lizabeth simplesmente se encheu de tudo e todos e partiu para uma vida reclusa, longe dos holofotes. Não queria sofrer aquele tipo de constrangimento.

De fato ela só retornaria às telas uma única vez em 1972 para uma pequena participação em um filme de um amigo. Fora isso decretou adeus a Hollywood com Loving You. Para os fãs de Elvis só resta o agradecimento. Assistindo ao filme hoje em dia podemos perceber nitidamente a importância de Lizabeth Scott na produção. As cenas mais fortes do ponto de vista dramático pertencem a ela. Sua experiência e ótima presença cênica fizeram toda a diferença do mundo no resultado final. Elvis e Dolores Hart eram duas crianças perto da longa caminhada que Scott já vinha trilhando, caminho esse que ela resolveu abandonar após as filmagens de seu primeiro e único filme ao lado de Elvis Presley. Um adeus marcante de uma atriz talentosa que nunca chegou ao estrelado mas que deixou sua marca registrada em vários filmes durante sua conturbada carreira.

Pablo Aluísio e Erick Steve.  

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Elvis News - Elvis: A Life In Music / Um Grammy para Jailhouse Rock / Novos CDs / Robbie Williams e Elvis

Elvis: A Life In Music - Está sendo lançado em países de língua alemã o famoso livro escrito por Ernst Jorgensen intitulado "Elvis: ...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates