Home » » Something For Everybody

Something For Everybody

Ótimo momento da discografia de Elvis Presley nos anos 60. Este disco quando foi lançado em maio de 1961 alcançou rapidamente o primeiro lugar da parada musical da Revista Billboard ocupando esta posição durante três semanas consecutivas, tirando Frank Sinatra do topo da parada. "Something For Everybody" foi gravado em apenas uma sessão de gravação em Nashville! Elvis entrou nos estúdios às 10 da noite do dia 12 de março e gravou até às cinco da manhã do dia seguinte. Em pouco mais de 7 horas o cantor já havia terminado sua parte deixando todas as músicas prontas para a RCA. Neste caso a pressa não foi inimiga da perfeição, pois este fato demonstra o alto poder de trabalho de Elvis e também o qualifica como o mais rápido "hit maker" da história. O que aconteceu realmente era que a banda já estava devidamente ensaiada ao entrar em estúdio, então foi apenas uma questão de se chegar ao take adequado. No mesmo mês que este disco foi lançado o single "I Feel So Bad / Wild in the Country" chegava ao quinto lugar na parada americana e ao primeiro na parada britânica. O lado B deste single promovia o lançamento de mais um filme de Elvis "Wild in the Country" (coração rebelde, 1961). Este filme marca a tentativa de Elvis em estrelar filmes de maior qualidade com roteiros melhores e papéis dramáticos, porém seu objetivo não foi alcançado pois seus maiores sucessos cinematográficos iriam ser as comédias musicais românticas como "Blue Hawaii" (feitiço havaiano, 1961). De qualquer forma a música "I Sleeped, I Stumbled, I Feel" foi incluída no disco para promover o lançamento do filme. O álbum também se destaca por ser um dos poucos gravados em estúdio sem qualquer relação com trilhas sonoras. Como se sabe por essa época Elvis estava decidido em se tornar um grande ator, então até mesmo sua carreira musical seria deixada um pouco de lado. Os discos a partir de então passariam a ser meros veículos para os filmes de Elvis, algo que com o tempo se mostraria saturado, tanto em termos artísticos como comerciais. Agora vamos analisar faixa por faixa as gravações de "Something For Everybody (LSP 2370):

There´s Always Me (Don Robertson) - Maravilhosa canção romântica escrita pelo ótimo compositor Don Robertson. Robertson inclusive compareceu ao estúdio de gravação e trocou algumas ideias com Elvis. Depois se tornou amigo do cantor, a ponto inclusive de visitar várias vezes sua casa na Perugia Way em Bel Air. É sem sombra de dúvida uma das mais belas músicas interpretadas pelo Rei do Rock, que nos presenteia com um momento mágico. Além de contar com a voz de Elvis em um de seus melhores momentos, esta traz ainda a participação muito especial da vocalista Millie Kirkham. Simplesmente ouça e se emocione.

Give Me The Right (Wise / Blagman) - Outra boa gravação original de Elvis. Por essa época o compositor Fred Wise compôs vários temas para o cantor, tanto para seus (poucos) discos de estúdio como também para suas (muitas) trilhas sonoras de filmes. As músicas eram geralmente pedidas por telefone para Wise que morava em Nova Iorque e sempre mantinha um time de compositores auxiliares para as rápidas composições encomendadas. Outro fato que chama atenção aqui é o fato do disco trazer uma curiosidade em relação a outros trabalhos de Elvis: um dos lados do antigo LP era composto exclusivamente com baladas românticas e o outro com músicas mais agitadas. Esta canção é um exemplo do primeiro tipo com ótimo acompanhamento dos músicos do cantor. Durante as sessões Elvis e seu produtor resolveram acrescentar novos instrumentos na música para melhorá-la.

It´s a Sin (Rose / Turner) - Primeiro cover de Elvis Presley no disco. Essa é uma velha canção gravada pelo famoso cantor Eddy Arnold em 1947. Na ocasião de seu lançamento a canção se destacou nas paradas Country & Western dos EUA. Embora creditada a dois compositores a música foi composta realmente apenas pelo guitarrista Zeb Turner que cedeu a metade dos direitos ao editor musical Fred Rose, um fato bastante comum na época. Depois que virou sucesso na década de 1940 a canção foi sendo sucessivamente regravada ao longo dos anos. As versões de maiores destaques vieram nas vozes de Bill Haley & His Comets (1957), Don Gibson (1962), George Jones (1965), Dottie West (1969), Del Wood (1980) e Willie Nelson (1995). Essa versão de Elvis, datada de 1961, mantém o alto padrão do cantor por essa época. Sua voz suave e muito melódica está perfeita para a proposta da composição, aqui em versão bem mais romântica e sofisticada.

Sentimental Me (Cassin / Moreheread) - Outro cover de Elvis para uma canção antiga, também da década de 1940. A música estourou na versão do grupo The Ames Brothers. Na Europa ela ganhou uma interpretação linda e muito inspirada de Jackie Brown and his Quartet. As duas entraram nas paradas logo no começo de 1950. A versão de Elvis segue a tendência desse disco, ou seja, voz suave e terna, adicionando muito romantismo à sua interpretação. Sua versão mais recente é a de 2005 quando o cantor country David Slater a regravou para seu album "Nice And Easy".

Starting Today (Don Robertson) - Outra canção muito inspirada do compositor e pianista Don Robertson. Canção leve, com belo arranjo que se encaixava perfeitamente no lado mais romântico deste disco. Essa composição faz parte das quatorze músicas que o autor fez especialmente para Elvis. Isso era algo bem interessante para Presley pois o estilo mais sofisticado de compor de Robertson vinha bem de encontro com o que ele andava procurando para gravar. Faixas suaves, românticas, onde ele pudesse praticamente sussurrar as letras. Além disso o arranjo de piano criava um lindo fundo instrumental para sua voz. Enfim, temos aqui um dos pontos altos do álbum.

Gently (Wizeth / Lisbona) - Mais uma versão original do disco. Canção romântica bem ao estilo acústico, o que de certa forma difere bastante das demais músicas de "Something For Everybody". Sem dúvida é um belo momento seu em estúdio. Fez parte também da última coletânea da discografia do cantor em vida, "Welcome to my World". Uma de suas características mais marcantes é seu arranjo em lindo dedilhado, criando um clima intimista, voz e violão muito agradável. Essa faixa encerrava o Lado A do antigo LP em vinil.

I´m Coming Home (Charlie Rich) - Canção que abria o Lado B do disco original. Aqui começa uma seleção de músicas mais animadas, agitadas. Essa faixa é aquele tipo de gravação que deixa uma certa frustração no fã de Elvis porque apesar de toda a sua ótima qualidade (de vocais, arranjos e execução) nunca foi destacada ou teve grande reconhecimento. A música foi composta pelo grande músico e compositor Charlie Rich (1932 - 1995). Rich se destacou em seus muitos anos de carreira como um dos mais talentosos nomes dos meios musicais em Nashville e Nova Iorque. A country music porém era apenas uma de suas facetas musicais pois ele também se destacou compondo vasto repertório nos gêneros rockabilly, jazz, blues e até gospel. Infelizmente como tinha grande renome também era considerado "caro demais" pelo Coronel Tom Parker, o que de certa forma encerrou prematuramente sua parceria ao lado de Elvis.

In Your Arms (Schroeder / Gold) - Outra versão original composta pela dupla Schroeder e Gold que iriam se tornar figuras constantes e assíduas nos discos de Elvis dessa época, inclusive nas trilhas sonoras onde escreveriam vários temas para o cantor. Aqui se nota a importância do conjunto vocal The Jordanaires no som de Elvis. Esta bela música conta com o acompanhamento impecável deste grupo. Aliás um fato curioso: o Jordanaires era o único grupo creditado nos discos de Elvis o que levava muitas pessoas a pensarem de forma equivocada que eles eram na verdade um grupo musical com guitarra, baixo, bateria, etc. O que não sabiam era que os Jordanaires nada mais eram do que um quarteto vocal, tipicamente de gravações gospel que Elvis levou para a RCA por admirar seu trabalho. Scotty Moore e banda não eram creditados nas antigas capas dos álbuns de Elvis, o que convenhamos foi uma grande injustiça cometida por muitos anos contra esses talentosos músicos.

Put Blame On Me (Wise / Twoney / Blagman) - Tem o mesmo título de uma música antiga cantada no cinema pela diva Rita Hayworth. Porém se trata de uma outra composição. Gravação original que anos depois, em 1965, seria utilizada como parte da trilha sonora do filme "Tickle-me" (O Cavaleiro Romântico" no Brasil). Este filme dirigido por Norman Taurog, sem sombra de dúvida é um dos piores que Elvis realizou em seus anos de Hollywood, uma vez que não se teve nem ao menos a preocupação de se gravar um trilha sonora própria para a produção. Lamentável. Todas as músicas de sua trilha já tinham sido lançadas antes em outros álbuns do cantor.

Judy (Teddy Redell) - Outro grande momento deste trabalho musical é representado por esta ótima balada de nome tão singelo: "Judy". Este era um truque dos primeiros compositores de Rock'n'Roll: utilizar nomes de pessoas ou cidades para sensibilizar os moradores destes mesmos lugares ou que tivessem o nome destas canções para que elas comprassem o disco! "Judy" foi ainda lado B de um single lançado em 1967, (seis anos depois!?) com "There's Always Me" no lado principal. Single fora de época que não fez qualquer sucesso nas paradas.

I Want You With Me (Woody Harris) - Canção pop de ritmo rápido. Elvis nos anos sessenta procurou sempre melhorar seus arranjos, inclusive incorporando diversos instrumentos novos em sua música o que lhe deu maior consistência musical. Isto iria se acentuar mais tarde quando Elvis trocaria de produtor, saindo Steve Sholes e entrando Chet Atkins. Este último era considerado um dos grandes nomes de Nashville e era conhecido pelo melhoramento e embelezamento que dava às gravações. Chet Atkins morreu em 2001, causando uma grande comoção no mundo artístico dos Estados Unidos.

I Sleeped, I Stumbled, I Feel (Wise / Weisman) - Única canção que faz parte da trilha sonora do filme "Wild in The Country" (Coração Rebelde, 1961) presente no disco. No enredo Elvis a canta enquanto dirige um caminhão ao lado de sua namoradinha. A letra, nada inspirada, soava totalmente fora de tom dentro da proposta do roteiro, pois "Coração Rebelde" se destacava mesmo por seu texto melodramático. Sua inclusão na seleção musical do álbum também acabou criando certa confusão entre os fãs. Na capa do disco vinha a inscrição "Trilha Sonora do filme Coração Rebelde". O problema é que esse texto estava mal colocado e posicionado, dando uma impressão errada ao consumidor. Claro que a indicação se referia apenas à essa música e não às demais. O público porém não entendeu direito e pensou que todo o álbum fazia parte da trilha sonora do filme. Imaginem a surpresa quando o filme começou e outras canções completamente diferentes surgiram na tela, enquanto que não havia o menor sinal das demais músicas desse álbum. A RCA reconheceu o erro e até soltou uma pequena nota pedindo desculpas depois.

Something For Everybody (1961): Elvis Presley (vocais) / Scotty Moore (guitarra) / Hank Garland (guitarra) / Bob Moore (baixo) / D.J. Fontana (bateria) / Buddy Harman (bateria) / Floyd Cramer (piano) / Boots Randolph (sax) / The Jordanaires (vocais) / Millie Kirkham (vocais) / Produzido por Steve Sholes / Arranjado por Steve Sholes e Elvis Presley / Gravado no RCA Studio B, Nashville / Data de Gravação: 12 e 13 de março de 1961 / Data de lançamento: maio de 1961 / Melhor posição nas charts: #1 (EUA) e #2 (UK).

Pablo Aluísio.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Elvis Presley - The Next Step Is Love

The Next Step Is Love (Evans / Barnes) - Quando Elvis resolveu retomar o rumo de sua carreira e deixar Hollywood para trás ele procurou e...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates