Home » » Girls, Girls, Girls

Girls, Girls, Girls

"Girls, Girls, Girls" é um típico filme de Elvis Presley dos anos 60. Rodado no Hawaii, com direção de Norman Taurog e produzido por Hal B. Wallis, a película foi o maior sucesso do cantor nas telas no ano de 1962. Começou a ser filmado com os títulos provisórios de "Cumbo Ya-Ya", "Welcome Aboard", "Jambalaya" e "A girl in Every Port" e finalmente mudado para "Girls, Girls, Girls" por causa da música dos Drifters. O grande problema de filmes como este é que acabaram levando Elvis a se distanciar de seu público, pois nesta época ele parou de fazer shows ao vivo. Assim quem queria ver Elvis, só pagando uma entrada de cinema. Esta era a visão equivocada do empresário do cantor, Tom Parker. Sem shows, gravando as músicas que os estúdios lhe colocavam a disposição, Elvis começou a se isolar cada vez mais. As trilhas ainda faziam sucesso nesta época, mas a partir de 1963, os fãs clubes iriam promover uma campanha para ele voltar à estrada. Infelizmente isso só iria ocorrer seis anos depois. Isolado e distante da realidade das pessoas, que eram sempre a grande fonte de inspiração do estilo Presley, ele iria amargar nos anos seguintes uma grave crise artística. Mas essa é uma outra história... As músicas da trilha "Girls, Girls, Girls" são:

GIRLS! GIRLS! GIRLS! (Leiber / Stoller) - Dois minutos e trinta segundos de prazer. Um dos melhores temas principais de filmes do cantor. A dupla Leiber e Stoller escreveu esta canção para o grupo The Drifters em 1961. Foi lançada no mesmo ano pelo selo Atlantic, alcançando um grande sucesso. Elvis gravou duas versões diferentes: uma na tarde do dia 27 e outra na madrugada do dia 28. Esta última versão foi utilizada na cena final do filme. Destaque para o saxofonista Boots Randolph e o grupo The Jordanaires.

I DON'T WANNA BE TIED (Giant / Baum / Kaye) - Belo embalo. Bem ao estilo do Pop dos anos 60. Aqui Scotty Moore se faz mais presente comandando a banda de apoio de Elvis. O arranjo aliás é bem elaborado com introdução de novos instrumentos de percussão. O final é característico das canções de Blues.

WHERE DO YOU COME FROM (Batchelor / Roberts) - Lado B do único single extraído deste disco. A introdução é puro romantismo, com Elvis acompanhado sozinho pelo piano. Logo após entra o apoio vocal do grupo The jordanaires de forma soberba. Em resumo: Elvis, o pianista Dudley Brooks e os Jordanaires em grande momento.

I DON'T WANT TO (Tarre / Spielman) - A introdução de guitarra afinada no estilo havaiano é de Scotty Moore. Canção romântica de verão, típica do Hawaii. Há o uso de harpas e sinos de forma discreta. O solo final é de Scotty, que estava inspirado nesta sessão de gravação. Primeira canção desta trilha a ser gravada.

WE'LL BE TOGETHER (O'Curran / Brooks) - Começa com um belo dedilhado em uma guitarra espanhola, tocada pelo músico Berney Kessel. Em uma segunda guitarra Scotty Moore passa a solar durante toda a canção. Elvis aqui canta um trecho em espanhol, o que não deixa de ser um pouco engraçado por causa de seu sotaque do Sul dos Estados Unidos. Para caracterizar ainda mais o som ao estilo ibérico foram acrescentadas maracas. No final o resultado é muito bonito.

A BOY LIKE ME, A GIRL LIKE YOU (Tepper / Bennett) - Música romântica executada corretamente. No filme Elvis a canta em um barco pois o personagem do Rei do rock é um pescador. A voz de Elvis está em um bom momento. Há no arranjo o uso de bongôs e harpas o que lhe enriquece musicalmente. Gravada na manhã do dia 27 de março de 1962.

EARTH BOY (Tepper / Bennett) - Bobinha e infantil. É a parte "gracinha" da trilha. Elvis a canta para duas chinesinhas no filme, por isso o arranjo segue o estilo oriental. A letra é bonitinha mas é só. Sempre faz parte daquelas coletâneas da RCA "Elvis para Kids". O Rei do Rock poderia passar sem essa. Em suma: chatinha.

RETURN TO SENDER (Blackwell / Scotty) - O grande sucesso do filme. Foi lançado como lado principal de um single de grande sucesso. Chegou ao segundo lugar nas paradas. Aqui Elvis homenageia o estilo do cantor de soul Jackie Wilson. Inclusive na cena em que ele canta esta música ele faz questão de usar os mesmos movimentos de Wilson. Um fato curioso e engraçado: Uma vez em Las Vegas um sujeito jogou um sapato no palco, Elvis que não perdia uma piada, pegou o sapato e jogou de volta cantando "Return to Sender" (de volta ao remetente). A platéia foi ao delírio.

BECAUSE OF LOVE (Batchelor / Roberts) - Romântica, linda, voz perfeita de Elvis, um verdadeiro prazer sem culpas. Foram gravadas 16 canções para este filme, mas só utilizaram 13, deixando de fora: "Mama", "Dainty Little Moonbeams" e "Plantation Rock", esta última aliás uma injustiça, pois é muito boa. Não perde em nada para outras canções deste disco, mas, o pessoal da Paramount resolveu fazer alguns cortes e a música foi arquivada. Uma pena.

THANKS TO THE ROLLING SEA (Batchelor / Roberts) - Música para pescadores, pelo menos para pescadores americanos. O filme foi rodado no Hawaii, em Kona Coast. O projeto original era filmar tudo no golfo de New Orleans, mas com o sucesso do filme "Blue Hawaii" (feitiço havaiano, 1961), a produtora resolveu levar todo mundo para as ilhas do pacífico. Era uma maneira de tentar repetir o sucesso anterior, além disso a fotografia ficaria mais bonita. Esta canção é cantada por Elvis em uma cena externa, aproveitando todo o cenário natural.

SONG OF THE SHRIMP (Bennett / Tepper) - A canção começa com um solo vocal de Elvis acompanhada por uma guitarra espanhola chorosa. Belo arranjo, principalmente pelas presenças marcantes de instrumentos de percussão. O solo vocal final é de um dos membros do grupo vocal The Jordanaires. Outra que foi gravada na noite do dia 27 de março de 62.

THE WALLS HAVE EARS (Bennett / Tepper) - Bobagem. Outra com arranjo de música latina. Foi o mais próximo que Elvis chegou de cantar um tango em sua carreira. Tudo arranjado para um cena cômica no filme. A cena como a música é bem fraquinha. Passe direto. Gravada no dia 27 de março.

WE'RE COMING IN LOADED (Blackwell / Scotty) - Fechando o disco temos mais esta composição de do grande compositor Otis Blackwell. Infelizmente o resultado fica abaixo do esperado, principalmente pelos talentos envolvidos. A canção começa com um instrumento esquisito (não sei especificar qual), depois ela prossegue com um ritmo bem forte e lá pelo meio vira um roquinho. Razoável. Não aborrece, mas também não vai mudar sua vida.

Elvis Presley - Girls, Gilrs, Girls (1962) - Elvis Presley (vocal) / Scotty Moore (guitarra) / D.J Fontana (bateria) / Berney Kessel (guitarra) / Harold Bradley (percussão) / Robt Bain (guitarra) / Al Hendridcson (guitarra) / Tiny Timbrell (guitarra) / Dudley Brooks (piano) / Ray Siegel (baixo) / Boots Randolph (Sax) / The Jordanaires (vocais) / The Amigos (vocais) / Joey Lilley e sua Orquestra / Produzido por Joseph Lilley / Arranjado por Steve Sholes e Joey Lilley / Gravado nos estúdios Radio Recorders, Hollywood / Data de Gravação: 26, 27 e 28 de março de 1962 / Data de lançamento: novembro de 1962 / Melhor posição nas charts: #3 (EUA) e #2 (UK).

Pablo Aluísio. 

1 comentários:

  1. Avaliação:
    Produção: ★★★
    Arranjos: ★★★
    Letras: ★★★
    Direção de Arte: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7,2

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Elvis Presley - Tomorrow Never Comes

Elvis Presley - Tomorrow Never Comes Tomorrow Never Comes (E. Tubb / J. Bond) - Um caso interessante em que o arranjo mais forte por part...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates