Home » » Elvis e Ann-Margret

Elvis e Ann-Margret

Foi quando visitava a família na costa oeste no verão americano de 1963 que Priscilla pela primeira vez se tornou alvo da imprensa nacional, devido ao caso que Elvis estava tendo com Ann Margret. Tudo começou no final de julho, em Las Vegas, onde Elvis e Ann Margret filmaram "Viva Las Vegas". Quando o filme terminou, ambos estavam enamorados. Uma prova disso é que pela primeira vez em sua vida Elvis começou a sumir de casa por dois, três dias e até uma semana para passá-los na residência de Ann Margret, em Hollywood Hills. Essa violação da regra de que as mulheres tinham de vir até ele, era apenas um dos sinais que os caras da Máfia de Memphis interpretaram como verdadeira paixão.

Enquanto o romance de Elvis e Ann pegava fogo, Priscilla ficava em Graceland, aguardando a volta de seu namorado, como ela mesmo recorda em seu livro "Elvis e Eu": "Eu estava transtornada desde que soubera que a estrela do novo filme de Elvis seria Ann Margret, a starlet em ascensão mais rápida em Hollywood. Ann Margret fizera apenas uns poucos filmes, inclusive bye bye birdie, mas já fora apelidada pela imprensa como "Elvis Presley de saias". Elvis estava curioso em relação a ela, tenho comentado que "a imitação é a forma mais sincera de lisonja". Compreendi que se lhe revelasse meus temores, ele podia não dizer nada para me tranqüilizar. Afinal porque eu tinha tanta certeza de que no instante em que Elvis estivesse longe de mim - e perto de Ann Margret - surgiria um romance entre os dois? Cada vez que eu me aprontava para ir ao encontro de Elvis em Los Angeles, ele apresentava uma alegação qualquer para adiar a visita:

- "Este não é o momento mais conveniente, baby. Estamos com problemas nas filmagens"

- "Que problema?" - eu questionava

Elvis cinicamente me respondia:

- "O caos é total aqui. Tenho um diretor maluco que está perdidamente apaixonado por Ann. Pela maneira como ele está dirigindo, dá até para pensar que o filme é todo dela. Ele está favorecendo Ann em todos os closes" - Elvis fez uma pausa - "E não é só isso: querem também que ela cante algumas canções comigo. O coronel ficou furioso. Disse que eles terão de me pagar um extra para cantar com ela".

Enquanto escutava a arenga de Elvis, tentei me compadecer com a situação. Mas, emocionalmente, estava mais preocupada com a estrela do filme do que com o diretor.

- "Como está Ann Margret?" - Perguntei

- "Acho que ela é uma boa garota" - respondeu Elvis.

Então ele logo descartou o assunto com a expressão "uma típica starlet de Hollywood". Minha preocupação foi temporariamente atenuada. Eu sabia que ele sempre encarava as atrizes de maneira desfavorável, chegando mesmo a comentar:

- "Elas estão mais interessadas em suas carreiras e o homem fica em segundo plano. Não quero ser o segundo para qualquer coisa ou qualquer pessoa. É por isso que você não precisa se preocupar com a possibilidade de eu me apaixonar pelas atrizes que trabalham comigo"

Eu queria acreditar, mas não podia ignorar as notícias na imprensa sobre o romance ardente que estava acontecendo nas filmagens de "Viva Las Vegas". Só que o romance no set de Las Vegas, segundo os boatos, não era entre Ann Margret e o diretor e sim entre Ann Margret e Elvis. Uma noite em que estávamos conversando pelo telefone perguntei abruptamente:

- "Tem algum fundo de verdade?"

- "Claro que não" - respondeu Elvis, caindo na defensiva no mesmo instante - "Você sabe como são esses repórteres. Adoram ampliar qualquer coisa. Ela apenas aparece por aqui nos fins de semana, em sua motocicleta. Brinca um pouco com a turma e depois vai embora. Isso é tudo"

Mas isso não era o suficiente para mim. Ann Margret estava lá e eu não. Enfurecida, declarei:

- "Quero ir para aí agora!" -

Elvis ficou visivelmente surpreso com a minha reação e se saiu com essa:

- "Agora não é possível. Estamos terminando o filme e voltarei para casa dentro de uma ou duas semanas. Mantenha-se aí e trate de conservar acesso o fogo da paixão" 

De forma melancólica eu lhe respondi:

- "A chama está ardendo muito baixa. É melhor alguém voltar logo para casa e atiçar o fogo".

Quando estava preparada para entrar em uma verdadeira guerra com Ann por Elvis, aconteceu uma coisa que deixou todos surpresos: de repente Elvis e Ann Margret desmancharam o namoro. Alguns rapazes da Máfia de Memphis encontraram Ann nos estúdios dias depois e conversaram sobre o assunto:

- "Pensamos que vocês estavam apaixonados" - disse um deles

- "Eu também" - falou a atriz

- "E daí, o que aconteceu?" - quis saber um dos caras.

Ann respondeu:

- "Não sei. Perguntem ao seu chefe. Eu não tenho a mínima idéia".

Quando Elvis voltou de Hollywood resolvi mexer nas suas coisas atrás de provas, foi então que achei um bilhete na sua carteira que dizia: "Não posso entender - Scoobie". Era de Ann Margret. Tive certeza. Scoobie era o apelido que ela dera a si mesmo, como Elvis me confessou depois. A frase era também o título do primeiro disco de sucesso que ela gravou no começo dos anos sessenta. Era evidente que Elvis se dissociara completamente de Ann Margret, cortando os vínculos entre os dois. Rasguei o telegrama em pedacinhos, joguei no vaso e puxei a descarga, com a maior satisfação.

- "Não deixa passar muita coisa não é mesmo baby? Para uma garotinha você é uma mulher típica" - Ele estava rindo - "Acho que é melhor eu tomar cuidado".

Retribui o sorriso, mas pensei:

- "Nada disso. Sou eu quem precisa tomar cuidado.

A amizade mútua e o respeito profissional entre Ann Margret e Elvis persistiram até o dia de sua morte. Ao longo dos anos ele nunca esqueceu de enviar um buquê de flores em forma de guitarra, desejando sucesso para a atriz sueca, sempre que ela estreava em um novo show ou em um novo filme!


2 comentários:

  1. Hmm .. adorei as coisas que li aqui sobre o meu rockman favorito, que eu AMO acima de tudo nessa vida. rs rs. Eu consegui fazer download de alguns vídeos da Priscilla no Youtube (de 01 a 09 / daí eu juntei tudo num só, depois do down..), onde ela fala um pouco sobre a Ann (seu calcanhar de aquiles rs rs). Tem também um vídeo no Youtube, com a Ann-Margret, onde ela fala do seu grande amor e respeito pelo Elvis. Tem também o filme "Elvis e Eu" baseado no livro da Priscilla, que faz menção a esse romance avassalador! Realmente o que "rolou" entre eles foi bem sério e os dois se apaixonaram sim .. mas o Elvis (pelas coisas que andei lendo sobre ele), sempre assumia os seus compromissos como homem responsável que era.., e ele jamais "devolveria" a Priscilla para a sua família, depois de "convencer os familiares dela, para tê-la ao lado dele em Memphis/Graceland. Por outro lado, o Cel. Parker dava as "ordens" e ele acatava todas, e o casamento acabou acontecendo. Mas o Elvis era inconstante e queria agradar a "todas" rs rs.., a pressão foi imensa .. Priscila cresceu e amadureceu; aprendeu com a solidão e a saudade que o Elvis "não" lhe pertencia. Daí ela pediu o divórcio, mas havia muito amor entre eles dois. Ironicamente o tempo mostrou ao Elvis que ela era a mulher da sua vida, ambos tentaram um recomeço (conversaram muito a esse respeito), mas não deu certo. Repetindo, o Elvis era inconstante e não dispunha de tempo para nada; nem para ele mesmo; finalmente cada um (depois do divórcio), seguiu com as suas vidas! Depois da Priscilla, surgiu a Linda Thompson (Miss Tennessee), uma grande mulher que o amou muito e que cuidou dele e da pequena Lisa Marie; rolou uma química boa entre eles dois, mas o Elvis também não ficou com ela .. enfim .. Então surgiu a Ginger (sua última namorada) e que o encontrou morto no banheiro de sua mansão em Graceland. De acordo alguns depoimentos dela, ele a pediu em casamento e queria ter mais filhos e com ela, a mulher escolhida por ele para ser a mãe dos seus próximos filhos, ..(??). Nunca vamos saber desse final porque o Elvis se foi. Todas o queriam e "ele" queria ser de todas "elas" também .., mas a sua paz só foi verdadeiramente encontrada quando do seu descanso eterno! Para quem só dormia entre 03 ou 04 horas por noite, com sérios problemas de saúde e que precisava se entupir de remédios para dormir um pouco mais (inclusive), dentre outras coisas e sintomas. Finalmente ele encontrou a sua tão merecida Paz!! Em vida, "infelizmente" isso jamais seria possível, a despeito de todo o nosso amor por ele!
    R.I.P. querido e amado Elvis; o meu amor por você sempre será eterno .. sempre e sempre, enquanto eu viver! Como diz você em uma de suas músicas, "I'll Remember You". Love you forever, my sweetangel. <3

    ResponderExcluir
  2. Olá Mª de Lourdes. Gostei bastante de seu texto. Realmente teria pouco a acrescentar pois você resumiu bem o lado emocional de Elvis e seus relacionamentos amorosos, muitos deles bem problemáticos. Na minha opinião há muito ainda a se descobrir sobre aspectos da personalidade de Elvis, que segue sendo de certa forma um mistério. Abraços, Pablo Aluísio.

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Elvis Presley - Tomorrow Never Comes

Elvis Presley - Tomorrow Never Comes Tomorrow Never Comes (E. Tubb / J. Bond) - Um caso interessante em que o arranjo mais forte por part...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates