Home » » Tupelo, Mississipi

Tupelo, Mississipi

Quando um repórter contou a Vernon que o nome Presley era de origem inglesa, ele respondeu surpreso: "Nunca ouvi falar que meus parentes tivessem vindo de tão longe. Deve Ter sido há muito tempo. Parece que nós sempre vivemos por aqui. E é a mesma coisa com a família de Gladys, os Smiths". Elvis Presley, muito mais educado que seu pai semi-analfabeto, também não tinha a mínima idéia sobre a sua origem. Pouco antes de morrer, porém, ele recebeu uma pesquisa que rastreava os Presleys até nove gerações passadas, quando o primeiro homem, o "tronco" da árvore genealógica de sua família imigrou para a América do Norte. Seu nome era David Pressley e pouco se sabe sobre ele, exceto que era anglo-irlandês e desembargou com seu filho Andrew em nova Bern, Carolina do Norte, por volta de 1740. A terceira geração da família foi Andrew Pressley junior, que lutou contra os ingleses em 1781, na última grande batalha travada no Sul do país durante a Guerra da Independência.

Em 1861, Dunnan Pressley Junior casou-se com Martha Jane Wesson e estabeleceu-se em Fulton, Mississipi, uma região pacificada por um tratado com os índios assinado em 1832, e onde a terra era muito barata. Antes de abandonar a mulher, Dunnan teve duas filhas com Martha: Rosalinda e Rosella. Nascida em 1862, Rosella seria a bisavó de Elvis. Rosella Presley cresceu e se tornou uma mulher muito estranha e misteriosa. Dos 19 até os 30 anos, ela deu à luz nove crianças ilegítimas. Rosella nunca identificou seu amante ou fez qualquer exigência a ele – ou a eles. Ela era uma mulher orgulhosa e dura como pedra e criou sua prole trabalhando de sol a sol nas fazendas de algodão.

Da mesma forma que os Pressleys, a família de Gladys, os Smiths também vieram das Carolinas. O Tataravô de Elvis, John Smith, aparece no censo de 1850 em Atlanta, Geórgia. Em 1874, seu filho Obe Smith, casou-se com Ann Mansell e foi morar em Satillo, a noroeste do Estado do Mississipi, um pouco ao norte de Tupelo. O segundo filho desta união foi Robert Lee Smith, avô de Elvis. Robert "Bob" Lee casou-se com Octavia Lavinia "Doll" Mansell, naquela que foi talvez a mais significativa aliança na genealogia de Elvis Presley, pois existem fortes razões para se acreditar que marido e mulher eram primos em primeiro grau. Bob e Doll geraram filhos que apresentaram uma propensão a bebedeiras, distúrbios físicos e emocionais e morte prematura. Os três irmãos de Gladys, por exemplo: Tracy nasceu surdo e mudo, Travis morreu na casa dos trinta anos, Johnny morreu aos 46 anos (como Gladys). Travis e Johnny eram bons bebedores e ficavam perigosamente violentos quando bêbados.

Jessie Presley, o avô, gostava de beber e sempre se metia em brigas de bar
Bob Smith gostava muito de sua filha Gladys, a mãe de Elvis Presley, que era muito parecida com ele. Embora no fim da vida Gladys tenha mergulhado em profunda depressão, sua personalidade era muito forte e ela tinha um excelente astral, sempre rindo e brincando o tempo todo. Quando Gladys tinha 19 anos, a saúde de seu pai, já cego, começou a piorar e a família decidiu mudar sua estratégia de sobrevivência, deixando de ser trabalhadores migrantes e estabelecendo-se em Tupelo, para aproveitar o desenvolvimento industrial da região. Na década de 30, Tupelo havia se transformado em cidade-modelo do "New Deal", a política desenvolvimentista criada pelo Presidente Roosevelt.

Os Smiths mudaram-se para uma casa em East Tupelo e as moças solteiras arrumaram emprego. Gladys foi trabalhar numa fábrica de roupas, costurando 12 horas por dia, seis vezes por semana, para ganhar um salário de 120 dólares mensais. East Tupelo estava cheio de Pressleys: 26 crianças do grupo escolar tinham este nome. O primeiro a chegar foi Jessie Pressley, o avô de Elvis, junto com os irmãos Noah e Calhoun. Em 1913, aos 17 anos, Jesse casou com Minnie Mae Hood. Tiveram dois filhos (Vernon e Vester) e três filhas (Delat Mae, Gladys Earlene e Nashville Lorene). E Minnie Mae começou a odiar o seu jovem marido. Calhoun Pressley, certa ocasião, ofereceu uma boa descrição de seu irmão mais velho:

- "Jessie vivia mudando de emprego. Era um homem honesto, mas gostava de beber e sempre se metia em brigas de bar, indo parar na cadeia. Ele era magro, tinha quase 1,90 m de altura e gostava de se vestir muito bem. Elvis herdou sua aparência física do avô Jessie" - O depoimento de Calhoun Pressley revela ainda que Jessie passava meses desempregado e que sua família geralmente ficava sem Ter o que comer, porque ele gastava todo o dinheiro necessário a subsistência em roupas e bebedeiras. Minnie Mae, como vimos, tinha bons motivos para detestar o marido irresponsável. Contudo, continuou com ele até 1947.

Não é difícil imaginar o efeito que tudo isso teve sobre os filhos do casal. Vester e Vernon virtualmente não tiveram educação alguma. Aos 48 anos, Vernon mal sabia assinar o nome. A morena Gladys era muito bonita nos seus 20 anos, quando conheceu o loiro e jovem Vernon, de 16 anos. Eram dois pólos opostos e talvez por isso tenham se apaixonado. Gladys era madura e trabalhadora, Vernon imaturo e negligente. Gladys era extrovertida, Vernon estava sempre sorumbático. Mais importante, Gladys possuía alguma inteligência e imaginação, enquanto Vernon estava predestinado a passar o resto da vida tentando tornar-se um homem.

Elvis Presley nasceu em uma casinha de madeira
O casamento foi em Pontotoc, a 220 milhas de Tupelo, no dia 17 de junho de 1933. Embaraçados pela diferença de idade entre eles, trataram de mentir na licença de casamento: Gladys afirmou que tinha 19 anos, quando na realidade tinha 21; Vernon acrescentou cinco anos à sua idade afirmando que tinha 22anos. Recém-casados, foram morar com Jessie Pressley. Quando Gladys engravidou, em meados de 1934, Vernon arrumou 180 dólares emprestado e, com a ajuda do pai e do irmão construiu uma casinha de madeira de dois cômodos num lote que pertencia a Jessie, localizado ao lado da casa deste na estrada de North Saltillo. Foi nessa modesta casa que Elvis nasceu.

Esta casinha (foto acima), que atrai centenas de milhares de fãs, está hoje totalmente diferente do que era quando Elvis veio ao mundo. As senhoras que ficaram com a propriedade devem Ter se horrorizados com sua aparência original e foram logo providenciando uma decoração mais adequado com o mito Elvis Presley. As tábuas cinzentas foram pintadas de branco, cortinas e papel de parede foram aplicados em seu interior, e objetos que os Presleys nunca tiveram dinheiro para comprar foram adicionados ao mobiliário: uma máquina de costura, uma cadeirinha de bebê e aparelhos elétricos como rádio e ventilador. Para completar, o chão batido em frente da casa foi transformado num belo gramado. Depois de todo este trabalho fútil, as caridosas senhoras haviam substituído toda a realidade histórica pela fantasia, num gesto que tem sido muito freqüente no mito Elvis Presley.

Gladys estava tão convencida de que iria Ter gêmeos homens, que ela e o marido escolheram até os nomes: Jessie Garon, em homenagem ao pai de Vernon, e Elvis Aron em homenagem ao próprio Vernon, cujo nome do meio também era Elvis.

A supersticiosa Gladys estava certa. Na fria noite de 7 para 8 de janeiro de 1935, o médico William Robert Hunt foi atendê-la em sua casa e, às 4 horas da manhã, a sra. Presley deu à luz um filho nati-morto. Mas, às 4:35, veio outro, que sobreviveu. No registro de nascimento o doutor escreveu "Elvis Aaron". Como a pequena família não tinha os 15 dólares para pagar o atendimento médico, o Dr. Hunt mandou a conta para a assistência social. Assim nasceu o Rei do Rock'n'Roll.
Personalidade dividida desde a adolescência

Gladys chorou imensamente o gêmeo morto, que foi velado num pequeno caixão na sala da casa e enterrado numa cova sem identificação no cemitério Princeville. Não era apenas o golpe pela perda de Jessie Garon – o médico disse também a Gladys que ela jamais poderia Ter outros filhos. Gladys transformou Jessie Garon numa presença viva em sua casa. Uma das primeiras coisas que Elvis aprendeu com a mãe foi que ele tinha um irmão gêmeo que era um anjo no céu, e com quem poderia se comunicar através de orações. Com a idade de 4 anos, Elvis começou a ouvir a voz do irmão morto.

Esse irmão fantasma é uma das características mais importantes de sua vida, pois desde a adolescência Elvis começou a exibir uma personalidade dividida, dois sistemas de fantasias opostos que iriam surgir sempre em sua vida subsequente: o Bem e o Mal Quando criança, Elvis queria ser um santo. Aos 9 anos ele foi batizado pela Igreja Pentecostal e essa cerimônia despertou-lhe tão fortemente o espírito cristão que ele pegou tudo o que tinha – um punhado de gibis – e deu para as crianças da vizinhança. Dois anos depois do nascimento do filho, Gladys foi testemunha da morte da mãe, por Tuberculosa. Pobre Gladys! Primeiro foi seu pai, depois Jessie Garon e agora sua mãe. Mas outra desgraça ainda estava por vir, seu jovem marido, que sustentava a pequena família foi levado para a prisão.

Gladys, a mãe superprotetora
Vernon e seu cunhado Travis Smith foram acusados de falsificar um cheque de pagamento. A quantia era irrisória (algo assim como de 18 para 28 dólares) mas a sentença foi severa. Julgado em 25 de maio de 1941, Vernon pegou três anos na penitenciaria Estadual

Desolada, Gladys foi trabalhar como costureira e lavadeira para sustentar o filho, até Vernon sair da cadeia em janeiro de 1941. A prolongada ausência paterna afetou muito o desenvolvimento do jovem Elvis, que virou um clássico "filhinho da mamãe", que não desgrudava da saia de Gladys nem por um minuto. Cheia de zelo, Gladys acompanhava Elvis à escola (ida e volta) proibia-o de nadar ou qualquer outra brincadeira perigosa e atacava toda criança que brigava com o filho, que aliás dormiu na cama da mãe até a puberdade.

Mãe e filho, de fato, se amavam muitíssimo. Elvis tratava Gladys pelo carinhoso apelido de "Satnin" e ambos conversavam uma "Linguagem de Bebês" que só eles entendiam. Sempre na companhia da mãe Elvis lhe confessava todos os seus sentimentos mais profundos e os pensamentos mais íntimos. Tão dependente se tornou, que era para ela que ele corria quando precisava de conselhos ou decisões. Havia somente uma pessoa capaz de entendê-lo e guiá-lo no mundo e essa pessoa era a sua mãe. Quando Gladys morreu, Elvis se fechou como uma ostra.

Gladys mimava demais o filho querido. Embora os Presleys fossem desesperadamente pobres, sempre havia dinheiro para lhe comprar presentes caros, como um triciclo ou um violão. Em sua infância Elvis era um pequeno príncipe. Também pudera – Gladys não tinha mais ninguém a devotar o seu amor. Seus pais estavam mortos e Vernon havia se revelado um "crianção" Irresponsável, que na ocasião mais crítica de seu casamento acabou sendo preso por causa de um erro tolo e infantil, jogando nos ombros da esposa toda a responsabilidade pela educação do filho

Família Humilde
A primeira vez que Elvis subiu em um palco para cantar foi no dia da criança, quando tinha 11 anos, num concurso da feira anual de Tupelo. A canção escolhida foi "Old Sheep", um sucesso de Red Foley, uma balada sentimental sobre um cachorrinho de estimação que morreu. Elvis tirou 2o lugar.
Em 1946, Os Presleys mudaram-se de East Tupelo para Tupelo e Vernon se empregou como motorista de caminhão, ganhando 100 dólares por mês. Nos três anos que viveu nesta cidade Elvis fez amizade com James Ausborn, seu colega de classe na escola Milhan Junior High e irmão mais novo de Mississipi Slim, um cantor country da região. Dos 12 aos 13 anos, na companhia de James, Elvis passou a freqüentar a estação local de rádio, onde todo Sábado pela manhã Mississipi Slim apresentava seu programa em frente a um pequeno auditório.

Em setembro de 1948, os Presleys juntaram suas coisas, colocaram tudo num velho Plymouth 37 todo estropiado e foram para Memphis, a capital do Tennesse. Mais tarde, Elvis contaria que sua família estava completamente na miséria e que Vernon esperava conseguir emprego na grande cidade. Esta súbita mudança de Estado, entretanto, foi conseqüência de outra infelicidade ocorrida com os Presleys. A polícia de Tupelo declarou aos compiladores do livro "All About Elvis", que Vernon Presley fora apanhado vendendo uísque fabricado ilegalmente e havia sido expulso da cidade.

Assim, numa manhã ensolarada Elvis, Gladys, Vernon rumaram em direção a Memphis, na esperança de uma vida melhor.

Elvis: Documento Histórico.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Elvis Presley - Snowbird

Elvis Presley - Snowbird (G. Mac Lellan) - O álbum "Elvis Country" começa com uma música que curiosamente não foi gravada nas s...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates