Home » » Elvis For Everyone - Parte 1

Elvis For Everyone - Parte 1

Esse disco é uma tentativa da RCA Victor em lançar algo diferente dentro da discografia de Elvis Presley nos anos 1960. A questão é que os fãs estavam ficando cansados das trilhas sonoras dos filmes. Todos estavam aguardando por algum álbum de estúdio convencional, com músicas livres de quaisquer amarras vindas de Hollywood. Havia um senso comum que a qualidade das trilhas decaia a cada novo lançamento, então os fãs pediam por mudanças. O problema é que a RCA não tinha material suficiente para compor um álbum, então a saída foi revirar os arquivos da gravadora em busca de faixas perdidas, muitas delas há muito gravadas por Presley mas que nunca tinham ganhado o mercado antes.

Nessa verdadeira "colcha de retalhos" musical valeu de tudo, misturar música country dos anos 50 com restos de trilhas sonoras de Hollywood, mesclar com algumas gravações avulsas deixadas por Elvis em 1963 e mais uma ou outra canção para fazer volume. O resultado de toda essa mistura é apenas regular, não chegando a ser ruim. Na verdade foi uma espécie de alívio para os fãs do cantor Elvis Presley (em momento quase desligado do ator Elvis Presley). A capa coloca Elvis como um típico comerciante do sul em sua loja de secos e molhados, colocando suas canções à venda pelo melhor preço, com direção de arte até bonita e bem bolada. E por mais interessante que aquela capa pudesse soar era justamente isso mesmo que estava acontecendo. Elvis tentando achar um pouco de variação em sua desgastada imagem na época, voltando ao mercado musical para tentar alcançar algum êxito comercial. Dito isso vamos tecer alguns comentários sobre as primeiras canções do disco (as que fizeram parte do Lado A do antigo vinil):

Your Cheatin Heart (Hank Williams) - Esse clássico de Hank Williams foi gravado por Elvis antes dele seguir para a Alemanha. O produtor não gostou do resultado, achou que o registro ficou com pouca qualidade sonora (o que é verdade) e por isso a canção foi arquivada pela RCA. Além disso foi um country deslocado das demais músicas daquela maratona de gravação - a última grande sessão roqueira da carreira de Elvis segundo muitos especialistas. Só lembraram dela mesmo muitos anos depois, justamente nesse "Elvis For Everyone" e o curioso é que ela continuou deslocada aqui, pois não consegue fazer par com nenhuma outra música desse álbum.

Finders Keepers, Losers Weepers (Dory Jone / Ollie Jones) - Gosto bastante dessa faixa, não por ser muito relevante dentro da discografia de Elvis mas sim por puxar para um ritmo bem gostoso de se ouvir. É um popzinho muito simpático e bem executado no final das contas. A letra usa uma expressão muito popular nos Estados Unidos, "Finders Keepers, Losers Weepers" que poderia ser substituído pelo nosso velho e conhecido ditado "Achado Não é Roubado". Elvis em grande forma em uma faixa menor, mas não ruim de sua discografia.

In My Way (F. Wise / B. Weisman) - É curioso que em um disco que foi lançado para atender aos pedidos dos fãs para darem um tempo em tantas trilhas sonoras tenha usado justamente de faixas de filmes para tapar os buracos. De certo modo não houve outro jeito para a RCA Victor. Isso mostra como a carreira musical de Elvis estava voltada completamente para as canções Made in Hollywood. Essa "In My Way" fez parte da trilha do filme "Coração Rebelde" (Wild In The Country) e como as demais músicas dessa trilha temos um arranjo bem básico, praticamente voz e violão. A letra só tem dois estrofes e é bem derivativa, uma singela declaração de amor. A performance de Elvis é boa de maneira em geral, mas não consegue sair muito do que era produzido na média daquela época. Não vá confundir com "My Way", essa sim uma música inesquecível e maravilhosa.

Tomorrow Night (S. Coslow / W. Gross) - Para os fãs da época essa faixa era o grande atrativo do álbum, afinal de contas era uma antiga gravação de Elvis ainda ao lado dos Blue Moon Boys! E era inédita! O problema é que o produtor Chet Atkins achou a versão original muito crua e por isso resolveu reconstruir a faixa em estúdio. Formou uma banda de apoio e refizeram toda a parte dos arranjos. Atkins era um mestre e seu trabalho ficou bonito só que o fã de Elvis estava mais interessado em ouvir a faixa tal como havia sido gravado na Sun Records e por isso houve um certo desapontamento de quem comprou o disco. Essa "Tomorrow Night" recauchutada porém ficou muito boa e merece ser conhecida (claro, sem deixar de lado a versão "raw" da Sun Records).

Memphis, Tennessee (Chuck Berry) - Muita gente boa não gosta dessa versão de Elvis Presley para esse clássico de Chuck Berry. Eu porém penso diferente. Acho uma bela gravação, com arranjos que inclusive poderiam ser classificados de bem modernos. Claro que o principal motivo que levou Elvis a gravar a música foi a homenagem que Berry fez para sua querida Memphis. Essa obviamente não passaria em branco para Presley, ele certamente a gravaria mais cedo ou mais tarde. E como acontecia com praticamente todas as composições de Chuck Berry essa aqui também tem uma narrativa praticamente cinematográfica em sua letra. Um belo momento que mostrava que o talento de Elvis ainda estava lá, intacto. O que faltava mesmo era bom material para ele gravar, uma pena.

Pablo Aluísio.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Elvis News - Elvis: A Life In Music / Um Grammy para Jailhouse Rock / Novos CDs / Robbie Williams e Elvis

Elvis: A Life In Music - Está sendo lançado em países de língua alemã o famoso livro escrito por Ernst Jorgensen intitulado "Elvis: ...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates