Home » » FTD Moody Blue

FTD Moody Blue

"Moody Blue" como todos os fãs de Elvis sabem, foi o último disco lançado em vida por Elvis Presley. Algumas cópias chegaram ao mercado em bonito vinil azul, para celebrar a longa carreira de sucesso de Elvis na RCA Victor - em caso raro de superstar que nunca deixou seu selo desde os primeiros anos de êxito comercial internacional. De modo em geral gosto bastante do disco original, mesmo sendo em parte no estilo mosaico. De uma forma ou outra o álbum conseguiu alcançar uma personalidade própria, unindo faixas da sessões realizadas nas salas das selvas em Graceland com pontuais gravações captadas ao vivo em shows de Elvis pelos Estados Unidos afora. Na época do vinil havia uma certa limitação no número de músicas que podiam ser inseridas em um álbum. O normal geralmente era ter entre 10 a 12 canções divididas em dois lados. Quando "Moody Blue" chegou ao mercado a RCA escolheu 10 canções, o que tinha se tornado praxe na discografia de Elvis nos anos 1970, pelo menos em seus discos de estúdio. O fato é que nos últimos anos de sua vida Elvis foi ficando cada vez mais arredio em gravar em longas sessões, como aconteceu em 1969 ou 1970. A idade e os anos cobraram seu preço. Dito isso vamos tecer alguns breves comentários sobre cada canção e sua presença nesse título.

Unchained Melody - Elvis não a gravou em estúdio. Era aquele tipo de música que ele ensaiou especialmente para os shows ao vivo, onde tinha oportunidade maior de soltar o vozeirão e tirar algumas notas ao piano. É sem dúvida uma das mais marcantes do álbum, mas curiosamente o CD não a aproveita como deveria. São apenas duas versões, a oficial, com a maquiagem sonora que o produtor Felton Jarvis lhe deu e uma versão crua, denominada undubbed que já havia sido lançada antes no CD "Spring Tours '77". Deveria ter sido mais bem aproveitada, sem dúvida.

If You Love Me - Bom country que chegou a tocar razoavelmente bem nas rádios americanas da época. Novamente o ouvinte só terá versão oficial e a crua (undubbed). Bem decepcionante para falar a verdade, afinal de contas outras versões ao vivo poderiam ter sido encaixadas.

Little Darlin' - Igualmente pouco aproveitada. O selo FTD apenas disponibiliza a versão oficial que foi enriquecida com metais e demais instrumentos providenciados por Felton Jarvis e a versão crua, tal como foi gravada e depois usada pela RCA no disco original. Uma pena pois "Little Darlin'" tem versões bem melhores na discografia não oficial de Elvis que circulam por aí há anos e anos. Pelo visto os produtores do selo FTD colocaram na cabeça que só iriam aproveitar as versões que fizeram parte do disco original.

He'll Have To Go - Baladona triste e depressiva que nunca conseguiu se destacar muito. Para muitos sua melancolia e tristeza a impediram de ser melhor apreciada. Além da versão original o CD traz a chamada rough mix que já tinha saído antes no Jungle Room Session. E isso, infelizmente, é tudo.

Let Me Be There - A versão do disco original foi pincelada do álbum ao vivo gravado por Elvis em Memphis em 1974. Na época os fãs reclamaram porque afinal de contas era uma reprise. Nesse CD do selo FTD é a única presente.

Way Down - Talvez o mais próximo que Elvis chegou de gravar novamente um rock ´n´ roll em sua vida, muito embora a música esteja mais para country rock. Finalmente uma canção bem explorada pelo CD. São seis versões. A oficial do álbum original, sua versão crua sem overdubbs, um ensaio inédito, a versão denominada 2A que já havia sido lançada no box Platinum, a versão 2B, inédita, e finalmente a rough mix, também inédita. Se você gosta de "Way Down" o CD não vai lhe decepcionar.

Pledging My Love - A canção da roleta russa. Gosto da versão original, tem muita fluência e ótimo arranjo - superior até de outras faixas da Jungle Sessions. A grande novidade do CD é um ensaio que desbanca para o take 3, ambos inéditos. Também temos a oportunidade de ouvir pela primeira vez os takes 1 e 2, mostrando que a música foi sendo contruída aos poucos, em doses homeopáticas. Obras primas nascem assim.

Moody Blue - A canção mais anos 70 do disco. Elvis odiava discoteca, mas essa canção tem claras influências do estilo musical. Ele tentou levar a canção para os shows, mas isso foi bem raro. Talvez naquela altura de sua vida Elvis achasse que sua letra poderia atrapalhar sua execução nos palcos, por essa razão nas raras vezes que a cantou ao vivo o fez lendo a letra em uma folha. Algumas versões já tinham sido lançadas antes nos CDs "Made In Memphis" e "Jungle Room Session", mas os takes 1, 8 e 9 estão pintando pela primeira vez aqui.

She Thinks I Still Care - Essa música tem uma curiosidade. Seu take alternativo 2B que pode ser ouvido no box "Walk a Mile in My Shoes" é bem melhor do que a versão original que saiu no vinil de 1977. Para quem quiser tirar a dúvida essa versão foi encaixada aqui novamente. Fora ela temos a versão 2A que já tinha sido lançada no CD "Jungle Room Session" e os takes 3 e 4 que já tinham sido lançados no box "Made In Memphis". Para quem procura alguma versão inédita da canção temos boas novidades: os takes 7, 9 e 15 são completamente inéditos!

Its Easy For You - Essa música fechava o disco original. Os takes 3 e 4 são também totalmente inéditos. Por fim chamo a atenção para o fato de que esse título do selo FTD ainda trazer versões das músicas "America The Beautiful", "Softly As I Leave You" e "My Way" que não fizeram parte do projeto original de "Moody Blue" embora tenham sido gravadas na mesma época. Pessoalmente achei a inclusão inoportuna e desnecessária, mas para o fã que vai desembolsar uma bela quantia para ter o CD, certamente não haverá do que reclamar.

Pablo Aluísio. 

5 comentários:

  1. Pablo:

    Quando Moody Blue foi lançado eu comprei e depois em uma das minhas mudanças a muitos anos o perdi e confesso que não me lembrava da música Unchained Melody neste disco.

    ResponderExcluir
  2. Isso está se tornando cada vez mais comum. São tantos os CDs lançados nos últimos anos que as pessoas estão perdendo contato com a discografia original de Elvis. Alguns até mesmo não tem mais qualquer interesse nos discos originais, até porque como o vinil era realmente limitado em termos de espaço, muitos desses discos hoje são considerados obsoletos.

    ResponderExcluir
  3. Então realmente não havia Unchained Melody no disco que eu tinha? Pensei que eu tinha me esquecido.

    ResponderExcluir
  4. Unchained Melody era a canção que abria o disco "Moody Blue", tanto na edição americana como na brasileira. Você realmente esqueceu dela ou talvez esteja confundindo com o álbum duplo "Elvis in Concert" onde ela não fazia parte.

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Elvis News - Elvis: A Life In Music / Um Grammy para Jailhouse Rock / Novos CDs / Robbie Williams e Elvis

Elvis: A Life In Music - Está sendo lançado em países de língua alemã o famoso livro escrito por Ernst Jorgensen intitulado "Elvis: ...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates