Home » » Elvis - Joe É Muito Vivo

Elvis - Joe É Muito Vivo

(Stay Away Joe ou melhor... Elvis não era muito vivo!) - Há exatamente quinze anos tive a oportunidade de assistir ao único filme que me faltava da filmografia de Elvis: "Stay Away, Joe" que no Brasil recebeu o incrível título de "Joe é muito vivo!" (não é de hoje que nossos tradutores colocam nomes estúpidos em filmes americanos). Assisti em um pequeno cinema empoeirado numa região do centro da cidade. Normalmente essa sala só exibia filmes de Kung-Fu antigos, daqueles bem podreiras. Não raro a fita estourava no meio da exibição e o sujeito lá em cima colava os pedaços com um pedaço de chiclete gosmento que tirava de sua boca cheia de cáries! Sim, era o supra sumo do trash! Sabe-se lá o porquê resolveram exibir esse faroeste de Elvis em apenas duas sessões a preços promocionais (algo como um terço do preço de um ingresso normal). Mesmo assim pouca gente se animou a entrar. Na plateia havia pouca gente. Alguns senhores idosos tentando matar o tempo livre de suas aposentadorias, alguns estudantes matando aula, comendo pipoca e dando risadinhas abafadas nervosas e... eu, o último dos moicanos!

Vou dar minha impressão sobre o western temporão: Elvis filmou esse faroeste moderno (pelo menos assim o filme foi vendido na época) já com um pé fora de Hollywood. A sucessão de abacaxis já tinha provado que a carreira de Elvis no cinema estava arruinada. Muitos filmes ruins, muitas produções sem conteúdo e o pior de tudo: muitas trilhas sonoras insignificantes já tinham transformado Elvis em um caso perdido. Em 1968 ninguém mais colocava fé em Elvis como ator. Só restava a ele mesmo cumprir o que restava de seus contratos e dar no pé. Por essa época duas perguntas rondavam a cabeça dos fãs: quando Elvis vai cair fora de uma vez de Hollywood? E Quando Elvis vai voltar aos palcos? Como todos sabemos foi nesse mesmo ano que Elvis finalmente ressurgiu dos mortos com o NBC Comeback, mas enquanto o fim do ano não chegava ele trilhava a triste sina de participar de mais uma de suas produções medíocres. "Stay Away, Joe".

Nem tem o que discutir pois esse filme é o fim da linha, ou quase isso. Uma coisa logo chama a atenção: ao contrário de outros filmes, em que Elvis aparecia meio tenso, nesse ele passa a nítida postura de "Sabem de uma coisa? Não estou nem aí"! ou então "Me passem logo o dinheiro para eu cair fora dessa!". Visualmente não gostei do estilo dele, nem de seu cabelo – liso e ao vento, abandonando de vez seu mitológico topete armado com laquê (que também não era lá essas coisas, até porque prefiro seu visual dos anos 50) – além disso está novamente um pouco acima do peso, porém nada que se compare com os excessos de um "Paradise Hawaiian Style" por exemplo, onde aí sim ele ostentava uma portentosa pança!

A trilha é mínima e na minha opinião não constrange muito: Stay Away e Stay Away Joe são bobagens, mas que se não forem levadas muito à sério podem até mesmo divertir. Aliás sempre gostei da versão "estragada" de Stay Away Joe do disco "Almost in love", pois ela resume o estado de espírito de Elvis nesse filme: "Olha o filme é uma droga, vou ao menos me divertir ok? Nem quero saber!". Já "Stay Away" foi relegada a um obscuro lado B do single "US Male", o que prova que as cabeças da RCA não levaram a menor fé nela. As duas outras canções, "Dominic" e "All I Need Was The Rain", nunca passaram pelo meu gosto pessoal. A primeira é francamente mal produzida e a segundo peca por exageros homéricos e histéricos de arranjo, sabe aquela coisa meio "Over"? mas enfim.

Como todo mundo sabe Elvis sempre foi meio avesso a conceder entrevistas para promover seus filmes, mas para Stay Away Joe ele teve, por contrato, de ao menos dar alguma declaração sobre o filme e se saiu com essa: "Em Stay Away, Joe represento um pele vermelha astuto e criativo. Acho que pode ser uma melhoria nas produções". "Tá legal Elvis... eu vou fingir que acredito nas suas palavras e você finge que realmente aposta no filme!" – provavelmente assim pensaram os jornalistas que receberam as declarações do rei do rock!!! Se Stay Away Joe serviu para alguma coisa, foi realmente pelo fato de sua ruindade servir de trampolim para levar Elvis de volta aos palcos e shows. Às vezes, quando levamos um tombo, percebemos que o que aconteceu vai servir mesmo para nos impulsionar adiante e não voltar a cometer novos erros. Com certeza Elvis levou seus tombos e diante deles resolveu se mexer, ao fazer isso ele nos legou o Elvis dos anos 70, que sem dúvida é o preferido de muita gente, inclusive de muitos amigos próximos!

E para encerrar você que chegou até aqui em meu texto pode se perguntar: "E aí Erick, devo ou não assistir esse filme?" ao qual respondo "Claro que sim, procure conhecer tudo, se você quiser ser um fã consciente e equilibrado, mas não vá encarar isso como algo grandioso e maravilhoso só por que Elvis está no elenco, nada disso, nunca perca seu sendo crítico, pois caso contrário você corre o sério risco de virar um fã bobão e babão soltando barbaridades do tipo 'Nossa! Você viu Elvis em Stay Away, Joe? Puxa! Merecia um Oscar!!!"... Francamente...

Quando a sessão acabou eu não sabia ainda o que tinha visto na tela. Teria sido um pastelão dos três patetas? Um tipo de zoeira de Elvis com Hollywood? Mas afinal quem são os palhaços, Elvis ou os produtores que gastaram dinheiro realizando um filme tão ruim como esse?! As luzes se acenderam e eu dei uma olhada nos presentes. Os estudantes foram embora no meio da sessão e um dos aposentados dormia tranquilamente em sua cadeira. Outro olhava espantado para os lados e eu com a boca cheia de pipoca não sabia se dava uma sonora gargalhada ou se cuspia no chão... Depois de alguns segundos finalmente dei no pé pois o cinema estava com cheiro de mofo! Puxa, o Joe até poderia ser vivo, mas Elvis realizando um filme desses certamente não era muito...

Erick Steve.

6 comentários:

  1. Pablo, esse texto é bem antigo!
    Deve ter no mínimo seis ou sete anos e nem me lembrava mais dele! kkkkkkkkk
    Eu me recordo que foi publicado em nosso site, mas isso faz anos.
    Muito legal reler e recordar agora. Belo trabalho de resgate dos arquivos.
    Erick.

    ResponderExcluir
  2. O texto do Erick é mais interessante que o filme, sem dúvida. kkkkkkkkk...

    ResponderExcluir
  3. Erick, esse texto foi publicado no site EPHP em dezembro de 2006, ou seja, nove anos atrás! E ele é bem mais velho do que isso uma vez que você o escreveu no nosso antigo fórum do Yahoo!

    ResponderExcluir
  4. Quando li "(Stay Away Joe ou melhor... Elvis não era muito vivo!) " eu sabia, sem ler a assinatura
    abaixo, que era um texto do Erick. Obrigado meu caro por por escrever novamente sobre o Elvis e nos brindar com sua acidez estimulante. Só não concordei com você no que tange ao cabelo do Elvis no tal filme; eu gostei do fim daquele capacete de laquê ridículo dos filmes dos anos sessenta e também deste visual, cabelos esvoaçantes e costeleta mais cheias, ser o prenúncio da terceira versão do visual do Rei do Rock.

    ResponderExcluir
  5. Grandes Telmo, Pablo e Serge, obrigado!
    Então o texto é 2006?! Uau, estamos ficando velhos mesmo. Então a primeira frase poderia ser assim: " Há exatamente vinte e cinco anos tive a oportunidade de assistir ao único filme..."
    Caramba! Melhor deixar do jeito que está kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Elvis Presley - The Next Step Is Love

The Next Step Is Love (Evans / Barnes) - Quando Elvis resolveu retomar o rumo de sua carreira e deixar Hollywood para trás ele procurou e...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates