Elvis Presley - Words

Houve um claro divisor de águas na carreira de Elvis a partir do momento em que ele retornou aos shows ao vivo em 1969. Durante toda a década de 60 Elvis havia se enfurnado dentro do estúdio produzindo um material que lhe era imposto pela gravadora RCA Victor e demais companhias de cinema. Esses álbuns produzidos do tipo Made in Hollywood tinham pouca coisa a ver com o que acontecia lá fora, no mundo real. A maioria das músicas só faziam sentido dentro do contexto das cenas dos filmes. Os arranjos tinham parado no tempo e qualquer polêmica envolvendo as letras era sumariamente eliminada pelos produtores. Elvis vivia em uma espécie de bolha. Não é de se admirar que conforme o tempo foi passando seus discos deixaram de vender bem. Pois bem, quando voltou aos concertos ele precisou se atualizar, cantar um repertório que criasse uma ligação com o gosto popular novamente. Não haveria mais câmeras e nem cenas enlatadas. Elvis tinha que encarar seu público face a face e fazer com que eles voltassem a gostar dele. Por isso o repertório mudou tanto. Elvis tinha que catar os sucessos das paradas para agradar as pessoas que tinham comprado um ingresso para vê-lo ao vivo.

"Words" do Bee Gees vai justamente nessa direção. Elvis tinha pouca coisa a ver com musicalidade desse grupo que era muito bom e tudo, mas que não seguia uma linha que pudesse ser associada ao trabalho que ele próprio havia realizado em sua carreira artística em todos aqueles anos. Então por que Elvis resolveu apresentar sua própria versão desse hit do grupo Bee Gees? Simplesmente porque era sucesso nas rádios, tocando o tempo todo. Elvis queria acima de tudo demonstrar que estava novamente se religando ao que estava no topo do gosto popular, mesmo que ele próprio não fosse lá muito fã desse grupo. Em minha concepção penso que a versão de Elvis para "Words" ficou muito boa. Tal como outras canções desse álbum, Elvis também não a gravou oficialmente em estúdio. É uma versão rápida, não muito bem trabalhada, mas que conta com uma boa performance de Elvis, além dos elogios sempre merecidos para a banda de apoio, com ênfase para os tecladistas (Glen Hardin, em especial). Além da boa sonoridade "Words" também é uma raridade já que em pouco tempo Elvis a descartaria do repertório de seus concertos. Pelo visto o cantor não se empolgou muito com a canção como um todo. Ossos do ofício.

Words (Robin Gibb / Barry Gibb / Maurice Gibb) / Álbum: Elvis in Person at the International Hotel, Las Vegas, Nevada / Data de Gravação: 25 de agosto de 1969 / Local de Gravação: Las Vegas, Nevada / Produtor: Felton Jarvis, Glen D. Hardin, Glenn Spreen, Bergen White, Elvis Presley / Músicos: Elvis Presley (vocais, violão), James Burton (guitarra), Jerry Scheff (baixo), John Wilkinson (guitarra), Bob Lanning (bateria), Ronnie Tutt (bateria), Charlie Hodge (violão), Glen Hardin (piano), Larry Muhoberac (Piano, órgão), The Imperials (vocais), The Sweet Inspirations (vocais), Millie Kirkham (vocais), Bobby Morris e Orquestra.

Pablo Aluísio.

7 comentários:

  1. Avaliação:
    Produção: ★★★
    Arranjos: ★★★
    Letras: ★★★
    Direção de Arte: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.8

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Pablo, veja a ironia do destino. A música dos Bee Gees realmente não tinha nada a ver com o Elvis, mas foi justamente Words que pôs o Elvis na modernidade. Até Words o Elvis estava no passado dele mesmo com seus rocks clássicos ou sua suas músicas ordinárias dos seus diversos filmes, mas com Words o Elvis se catapultou para a década de "70 estando ainda na década de "60, tão moderna que essa música soou na voz do dele. E se você estiver pensando que é o Serge de hoje que esta falando isso com o meus conhecimentos de músico, te digo que senti isso quando ouvi Words na primeira vez que a ouvi no Elvis é Assim ainda no remoto ano de 1978, quando eu tinha dezessete anos e só tocava dois ou três acordes no violão. Words para mim é um divisor de águas no que tange á modernização do repertório do Elvis.

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo Serge. Elvis começou a ficar antenado com o mundo da música, algo que não vinha acontecendo. Ele se modernizou e abriu as portas para a década de 70. Tudo isso foi acontecendo de forma gradual, "Words" fez parte desse movimento.

    ResponderExcluir
  4. E o legal foi que quando perguntaram pra um dos Bee Gees, acho que foi o Berry Gibb, o que ele havia achado da versão do Elvis pra Words e ele respondeu: "ficou melhor que a nossa".

    ResponderExcluir
  5. Complementando: no que o Barry Gibb tem razão, pois o Elvis tirou todos os gemidos duvidosos da interpretação do Barry, deixando a música limpa, linda e, principalmente, máscula.

    ResponderExcluir
  6. Algo semelhante aconteceu com Paul Simon. Para ele a versão de Elvis de "Bridge Over Troubled Water" é melhor do que a dele mesmo.

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Elvis News - Elvis: A Life In Music / Um Grammy para Jailhouse Rock / Novos CDs / Robbie Williams e Elvis

Elvis: A Life In Music - Está sendo lançado em países de língua alemã o famoso livro escrito por Ernst Jorgensen intitulado "Elvis: ...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates