quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Elvis Presley - The Wonder Of You

Esse é o CD do momento em termos de Elvis Presley. Primeiro lugar entre os mais vendidos na Inglaterra, trazendo mais um recorde para a carreira de Elvis. Diante disso vamos tecer alguns comentários sobre esse título nesse primeiro texto que será seguido por outros em breve. A priori eu sou aquele tipo de fã que aprecia os arranjos originais dos discos oficiais de Elvis. Esse sistema de trazer um novo arranjo modernizado não me agrada muito. Mesmo assim vou deixar esse tipo de opinião de lado para analisar o CD de forma mais isenta.

A primeira faixa é o rock "A Big Hunk O' Love". Essa canção foi gravada pouco antes de Elvis seguir rumo à Alemanha para o serviço militar. Essa sessão é até hoje uma das mais celebradas em termos de Rock ´n´ Roll de toda a carreira de Elvis Presley. Foi o auge de sua fase rocker. Seu arranjo original é perfeito pois o rock americano dos anos 50 combinava perfeitamente com esse tipo de sonoridade mais crua e direta. O rock em suas origens era visceral e simples, por isso muitas vezes era considerado selvagem demais pelos padrões musicais dos anos 50.

Caberia mesmo um arranjo orquestral por parte de uma filarmônica nesse tipo de música? Pessoalmente acredito que não, porém como essa é a proposta do CD, vamos lá... Particularmente gostei da introdução, com uma belo arranjo de cordas, sendo seguido por um piano ao estilo Fats Domino. Também houve acertos ao colocar a filarmônica em segundo plano, nunca atropelando o vocal de Elvis. O destaque ao piano "anos 50" por toda a canção foi algo que eles não poderiam ignorar. A única coisa que não gostei muito foi a introdução de um coro vocal feminino ao fundo. Não combinou muito bem, devo confessar. No mais a palavra que mais destacaria aqui é diversão. Ficou divertido. A original porém segue sendo insuperável.

A base de baixo que abre essa nova "I've Got A Thing About You Baby" me lembrou imediatamente de "Baby I Don´t Care" da trilha sonora de "Jailhouse Rock". Claro que foi proposital. Esse novo arranjo porém não me agradou muito e em minha opinião foi o mais fraco de todo o CD. Há uma levada para cima, um clima de comercial de margarina que pouco tem a ver com a proposta da gravação original. Ok, quiseram deixar o clima em alto astral, alegre acima de tudo, porém não combinou. O som Stax foi removido para debaixo do tapete. O uso da percussão mais em destaque também me soou bem desconfortável. Prestem atenção no que vou escrever: esse tipo de arranjo estará completamente ultrapassado dentro de poucos anos enquanto o original gravado por Elvis nos anos 70 seguirá imbatível a atemporal. Efeitos sonoros plásticos demais não resistem ao teste do tempo.

Pablo Aluísio.

4 comentários:

  1. Cotações:
    A Big Hunk O Love ★★★
    I've Got A Thing About You Baby ★★

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Minha opinião como fã e observadora é que a proposta original que se iniciou com aquele album do ano passado If I Can Dream era reavivar as músicas mais belas (tá bom algumas nem tanto pela beleza), trazer um novo arranjo e trazer Elvis novamente ao topo das paradas de vendagens de disco (coisa que há muito tempo não acontecia).
    Porém... tudo não passa apenas de pretexto para faturar em cima do nome Presley..
    A continuação desse album que é o Wonder of You, a meu ver não tem nada a ver com o intuito de trazer ao mercado aquelas canções incriveis que aparecem ter sido selecionadas a dedo (e olha que eu falo isso mesmo que esse album contenha praticamente todas as minhas canções favoritas do Elvis só em ter Just Pretend, Let be me... tudo no mesmo album).
    Eu fiquei muito feliz em ver um album do Elvis nas prateleiras das lojas, coisa que há muito tempo eu nao via (exceto por aquelas coletaneas não oficiais), mas eu adoraria ver outro tipo de material do Elvis a venda, adoraria ver mais material oficial.
    É uma pena mesmo que os produtores só queiram faturar em cima do nome Elvis, porque apesar de não ser como antes, ainda é um nome que vende muito.

    ResponderExcluir
  3. Também acho que não precisava aquele apelo todo nos arranjos de I've got a thing about you baby!
    Me dá uma raiva toda vez que vai tocar e não é Baby I don't care! Pra que fazer isso?

    ResponderExcluir
  4. Pois é Kamylla, temos visões bem parecidas. Eu particularmente não gosto que tentem modernizar o som de Elvis. Tudo bem, alguns arranjos até são bem bonitos, porém perde-se o contexto histórico, o sabor do tempo, nas músicas de Elvis nesse processo. Além disso o próprio artista é meio que deixado de lado nesse tipo de atualização. Não penso que seja o melhor caminho. Espero que os discos oficiais sejam relançados como mais frequência para que a nova geração conheça a música de Elvis tal como ela foi produzida, sem artifícios desnecessários.

    ResponderExcluir