Home » , » Elvis Presley - Snowbird

Elvis Presley - Snowbird

Elvis Presley - Snowbird (G. Mac Lellan) - O álbum "Elvis Country" começa com uma música que curiosamente não foi gravada nas sessões de junho de 1970, mas sim nas sessões de gravação realizadas em setembro desse mesmo ano. Essa belíssima música, que ganhou algumas versões ao vivo em 1971, estava nas paradas na voz da cantora canadense Anne Murray, quando Elvis a gravou. De melodia leve e com uma letra bem poética a canção se sobressaiu por causa do estilo, digamos, enigmático de sua letra. Para entender bem isso basta passear pela mensagem do autor. Vide os versos: "Então pássaro da neve me leve com você para onde for / Para as terras de brisas gentis / Onde as águas pacíficas correm". O destaque dessa música é a guitarra que não é executada por James Burton, que sequer participou das sessões de setembro e sim de outro músico talentoso, Chip Young. Em termos discográficos porém a canção nunca teve um papel de destaque dentro da discografia de Elvis. Como já era um sucesso musical na voz de outro artista, não era mesmo de se esperar que ela se tornasse campeã de popularidades na rádios, agora na voz de Elvis.

Esse aspecto é bem curioso, porque muitas belas gravações de Elvis nunca se destacaram nas paradas justamente por esse tipo de situação. Os radialistas apenas consideravam versões interessantes de sucessos de outros artistas interpretados por Elvis Presley. Pensando assim não abriam muito espaço na programação. Apenas os fãs, ao comprarem os discos do cantor, acabavam conhecendo essas novas versões. Para a mídia em geral eles não passavam de covers - por mais absurdo que isso possa parecer. Pensando nisso Felton Jarvis, o produtor de Elvis, tentou, sem muito sucesso, levar Elvis a gravar composições disponibilizadas pela RCA Victor especialmente para Elvis. Eram músicas compostas para serem lançadas em primeira mão na voz de Presley. Infelizmente nem sempre Elvis gostava dessas músicas, preferindo cantar ou sucessos do momento de outros cantores ou então revitalizar velhas canções do passado de que gostava tanto. Essa falta de novidades em seu repertório acabou prejudicando o sucesso de certos álbuns e singles, pois não despertavam muito a atenção do mercado na época.

Snowbird em outros lançamentos:

FTD The Nashville Marathon - Snowbird (take 2): Apesar do número absurdo de canções gravadas em junho de 70, em setembro após ensaios, uma temporada em Vegas e uma turnê, tudo emendado, Elvis estava novamente de volta aos estúdios de Nashville. Porém, Ele estava aparentemente mau humorado nesta sessão devido a dores que sentia em seu olho, sinais iniciais de um glaucoma que iria se manifestar com toda força em março do ano seguinte. Pela única vez na década inteira, James Burton não pôde comparecer à sessão e foi substituído por Chip Young. O motivo do não comparecimento de Burton foi que a sessão foi marcada de última hora e James já tinha outros compromissos. Apesar do incômodo do olho, Elvis gravou quatro músicas de altíssima qualidade. A primeira a ser gravada foi "Snowbird", que na época que Elvis gravou estava nas paradas na voz da canadense Anne Muray. Essa é, sem dúvida, uma das mais belas canções de Elvis, com uma letra bucólica ao estilo de "And The Grass Won´t Pay No Mind". Como o título sugere, ela fala sobre um pássaro, pelo menos aparentemente. Analisando a letra mais calmamente, vemos que na verdade ela fala sobre um homem que devido a um fim de relacionamento, se vê sem esperança na vida, contemplando sua época de juventude quando era mais feliz. O Snowbird metaforicamente é usado na música como uma espécie de guia espiritual imaginário que guiou o homem quando mais jovem para momentos mais felizes em sua vida, representados aqui por uma paisagem de natureza, descrita de forma bela no primeiro verso. Logo em seguida, o homem faz a comparação da alegria de sua juventude com o vazio que está sentido no momento. No refrão pede ao Snowbird para se libertar, abrindo suas pequenas asas e voar para longe e afirma que se pudesse voaria com ele, dando a entender que se o Snowbird conseguisse se libertar, ele também conseguiria. No terceiro, para fechar o homem reforça seu desejo de mudança, misturado com a mágoa de um fim de relacionamento mal resolvido. No final da música, percebemos que o Snowbird na verdade é um alter-ego do próprio homem que sempre travou vários diálogos consigo mesmo, para superar os momentos mais difíceis. Em suma: uma das melhores e mais complexas músicas da carreira de Elvis, totalmente disfarçada por uma melodia muito suave! O solo de guitarra introdutório foi posto posteriormente e esse take nos mostra a versão limpa e seca. Uma das melhores do CD, sem dúvida.

FTD The Impossible Dream - Um dos grandes destaques desse CD é a presença de uma ultra rara versão ao vivo da sensacional "Snowbird". De fato o cantor nunca a usou com regularidade em seus shows, talvez por ela apresentar uma letra longa e bem escrita. Para apresentações ao vivo Elvis preferia canções mais simples e diretas, mais fáceis de cantar. Nesse registro Elvis pergunta à plateia se eles gostam da música e se quer que ele cante. Após duas tentativas ele entra em uma excelente versão dessa pérola da discografia de Elvis e carro chefe do álbum Elvis Country. Porém, não antes de dizer o seguinte e incomodo comentário: “Eu não vou dar muito duro hoje a noite. Diabos eu acabei de comer!” Realmente aqui Elvis falha feio com seus fãs e não tem versão de "Snowbird" que dê jeito. Um comentário, novamente muito, mas muito antiprofissional.

Snowbird (Gene MacLellan) - Beneath this snowy mantle cold and clean / The unborn grass lies waiting / for its coat to turn to green / The snowbird sings a song he always sings / And speaks to me of flowers / that will bloom again in spring / When I was young my heart was young then too / Anything that it would tell me, / that's the thing that I would do / But now I feel such emptiness within / For the thing that I want most in life / Is the thing I can't win / Spread your tiny wings and fly away / And take the snow back with you / Where it came from on that day / The one I love forever is untrue / And if I could you know / that I would fly away with you / The breeze along the river seems to say / That she'll only break my heart again / should I decide to stay / So little snowbird take me with you when you go / To that land of gentle breezes / where the peaceful waters flow / (BMI) 2:04 - Data de gravação: 22 de setembro de 1970 - Local: RCA Studio B, Nashville.

Pablo Aluísio e Victor Alves.

5 comentários:

  1. Pablo, a versão do Elvis de Snowbird é muito boa, até por ele emitir em um ponto da música um grave muito baixo, perto do inaudível, mas sem o ser, repetindo exatamente a interpretação na Anne Murray. Infelizmente aí está o problema: a Anne Murray cantava melhor que o Elvis, pelo menos nessa música, com uma voz aguda, limpa, afinada e natural, e como o Elvis fez um cover da interpretação dela, esta ficou inferior e os radialistas devem ter percebido isso e preferiam a original.
    Se você prestar atenção, isso também acontece em Solitaire, em que o Elvis canta lindamente, mas um pouco forçado perto da interpretação magistralmente perfeita e solta e maviosa da Karen Carpenter.
    O Elvis estragou poucas músicas na sua prolifica carreira de interprete (infelizmente destruiu algumas dos Beatles, como Hey Jude) mas a a sua preguiça, ou excessivo respeito, em, além de regravar, fazer uma intepretação própria, causou alguns destes problemas. Ele fez cover até do Olivia Newton John em If you love me, let me know, só que desta vez a versão do Elvis ficou muito melhor por conta da energia da sua voz.

    ResponderExcluir
  2. Me esqueci: da Olivia Newton John tem também um cover, até nos arranjos e no contra canto do J D Summer, de Let Me Be There; com o mesmo resultado de cito acima.

    ResponderExcluir
  3. Pois é Serge...
    Fazer versões não é algo fácil...
    No mais as críticas em relaçao a "Snowbird" não se resumem a isso, há também aqueles que não gostam do arranjo... por seu bucólico demais...
    Não concordo, gosto da linha que o produtor Felton Jarvis seguiu.

    ResponderExcluir
  4. Eu também gosto deste arranjo, afinal a reclamação do bucolismo já é absurdo em si, afinal todo Country só pode ser bucólico pela própria origem geográfica, campo.

    ResponderExcluir
  5. Perfeito. Afinal o que eles queriam? Um arranjo de rock progressivo? Absurdo!

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Elvis Presley - Divórcio e Depressão

O fim do casamento com Priscilla significou também o começo de uma forte depressão para Elvis. Embora publicamente ele procurasse demonstr...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates