quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Galeria de Fotos: Elvis Presley nos anos 50





Foto 1: Elvis confere o motor de seu novo automóvel. Motorista de caminhão antes da fama o cantor nunca deixou de gostar de carros e motos. Foi um colecionador por toda a sua vida.
Foto 2: Elvis distribui autógrafos a um grupo de fãs em uma High School de Los Angeles. 
Foto 3: Rara foto do set de filmagens do filme "Jailhouse Rock" (O Prisioneiro do Rock, 1957). Sob direção de Richard Thorpe Elvis contracena com a jovem atriz Judy Tyler que infelizmente faleceria naquele mesmo ano, com apenas 24 anos de idade, após sofrer um acidente automobilístico.
Foto 4: Elvis confere um botton escrito "I Like Elvis". Essa era uma expressão bem popular entre os fãs do cantor nos anos 50, inspirado no slogan "I Like Ike" usado na campanha do presidente Dwight D. Eisenhower.

Pablo Aluísio.

8 comentários:

  1. Elvis Presley - Pablo Aluísio
    Galeria de Fotos
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Pablo:

    Eu não sei se você conhece, eu falei dele no post anterior, Sherrill Nielsen, se sim, por favor, me de sua impressão sobre esse fabuloso tenor/castratti que cobria os agudos e falsetos do Elvis quando este estava cansado, ou não conseguir atingir certas notas agudas. O Sherill era muito respeitado pelo Elvis, ao ponto de ter algo que ninguém tinha na banda TCB, um solo, para o ódio Charlie Hodge, em que o Sherril começava cantando O Sole Mio para o Elvis terminar cantando It's Now Or Never.

    ResponderExcluir
  3. Gosto bastante desse cantor. O curioso é que ele não é muito apreciado por certos fãs de Elvis. Já li diversas críticas (todas infundadas) afirmando entre outras coisas que "Ele não tinha talento" e que "Elvis dava espaço demais para ele nos concertos". Tudo bobagem.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, eu o chamei de castrati, mas sem querer dizer que ele fora castrado, mas sim para ilustrar o seu incrível registro vocal de tenor que está muito próximo, ou igual ao do soprano que é o agudo feminino.

    Dos anos 400 DC até o ano de 1870 DC, quando as castração foi proibida, se castravam os meninos ainda imberbes para suas vozes mantivessem o agudo como o soprano feminino, pois as mulher não podiam participar de espéculos público de músicas tais como as operas e assim esses garotos eram sacrificados para executar os papéis femininos nas árias em que isso se fazia necessário.
    Eu acho que o Sherril Nielsen foi submetido a isso, mas o seu registro tenor tem essa característica, a dos castratis. Como diz um Elvis em uma das apresentações de O Sole Mio do Nielsen "Fantastic!".

    ResponderExcluir
  5. Correção: Eu NÃO acho que o Sherril Nielsen foi submetido a isso...

    ResponderExcluir
  6. Correção: pois as mulherES..

    Desculpe: estou piorando em vez de melhorar.

    ResponderExcluir
  7. Sim, eu entendi sua metáfora. Essa "tradição" que foi até muito popular na Itália realmente era de uma crueldade extrema. Não sei se você conhece ou já assistiu mas há um filme chamado Farinelli (1994)que conta a história real de um desses cantores chamado Carlo Broschi. O filme foi dirigido por Gérard Corbiau, chegou a ser indicado a um Oscar e recomendo a quem tem interesse no tema.

    ResponderExcluir
  8. Vou procurar e assistir. Obg.

    Em tempo: meus indefectíveis erros se devem a ansiedade e não a falta de conhecimentos das regras gramaticais, por favor, tenha paciência e desculpe eu ficar rebocando seu blog.

    ResponderExcluir