quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

O Fim do Casamento de Elvis e Priscilla - Parte 2

Como todo casal que termina um casamento, o tempo entre a separação de fato e a audiência de divórcio na justiça foi marcado por tensões, remorsos e brigas entre Elvis e Priscilla. Para ela foi um tempo de reencontrar sua própria liberdade. Ela adotou um figurino mais moderno, soltou os cabelos, deixou de lado aquele estilo imposto pelo ex-marido, abriu um negócio próprio e pela primeira vez em sua vida, como confidenciou em seu livro, tinha finalmente tomado as rédeas de sua vida em suas próprias mãos.

Para Elvis foi um tempo sombrio. Ele se sentiu traído por Priscilla, que ele havia escolhido para ser sua esposa. Jamais esperaria por isso. Em um primeiro momento pensou em agir com violência, mas acabou sendo aconselhado por pessoas amigas e leais, como Joe Esposito e J.D. Sumner. Esse último, com muita experiência de vida, lembrou a Elvis que ele deveria ser um bom cristão e nunca mais pensar em fazer algo de mal a Mike Stone, o amante de Priscilla. J.D. lembrou a Elvis um trecho do evangelho em que Jesus dizia que se deveria perdoar setenta vezes sete, ou seja, o perdão deveria ser ilimitado. Elvis abaixou a cabeça, fez uma oração ao lado de seu vocalista e nunca mais voltou a falar novamente em mandar matar Mike Stone.

Elvis e Priscilla só voltariam a se encontrar na justiça, na sala de audiências de seu divórcio. Eles se trataram muito bem, como se nunca tivessem se separado. Priscilla ficou alarmada pelo estado físico de Elvis. Ele parecia muito acima do peso, suando em demasia, obviamente magoado e entristecido, mas procurando não demonstrar isso. A imprensa sensacionalista fez um grande alvoroço, com muitos repórteres e jornalistas pelos corredores da vara de família. Elvis sorriu e tentou passar a imagem de que tudo estava bem. "Somos os melhores amigos agora!" - falou brevemente a uma jornalista que de súbito colocou um microfone em sua frente.

Aos advogados Elvis deu apenas um comando: "Darei tudo o que Priscilla quiser! Não quero problemas e nem brigas nesse divórcio!". E de fato Elvis cedeu a todos os pedidos da ex-mulher. Ela pediu uma generosa pensão para a filha Lisa Marie, mais um acréscimo que deveria ser depositado todos os meses para suas despesas pessoais. Priscilla alegou que Elvis a teria impedido de trabalhar e ter uma profissão enquanto eram casados e que por isso dificilmente arranjaria um emprego no mercado de trabalho pois não tinha as qualificações exigidas. Elvis não contestou. No final da audiência eles saíram de braços dados e Elvis deu um beijo de despedida na ex-mulher. O casamento, dito por muitos, como a união dos sonhos, estava definitivamente acabado.

Pablo Aluísio. 

 

5 comentários:

  1. Elvis Presley - Pablo Aluísio
    O Fim do Casamento de Elvis e Priscilla - Parte 2
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Pablo:

    O perdão Cristão é condicionado a quem se arrepende e pede perdão, ai sim, as setenta vezes sete que Jesus falou. No caso do Mike Stone eu acho que esse arrependimento e o pedido de perdão não aconteceu; então neste caso o Elvis só afrouxou com a conversa com o J D Sumner porque na verdade ele não era um assassino e, também, se ele matasse o Mike, mesmo sendo O Elvis, seria preso e condenado. Antes ser corno.

    ResponderExcluir
  3. Telmo, o Mike Stone ainda está vivo, mas em pouco lembra o lutador dos velhos tempos, ele se tornou diabético e perdeu bastante peso com os anos, fora os demais problemas decorrentes da doença.

    Serge, é a tal coisa. O JD provavelmente estava se referindo a um tipo de perdão unilateral (para usar uma expressão de direito). No caso não se tratava do perdão de Deus, mas do perdão do homem, de Elvis.

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada Pablo, abraços !!!!!!!!

    ResponderExcluir