sábado, 4 de fevereiro de 2017

Elvis Presley - Os Primeiros Anos - Parte 1

Em 1953 Elvis Presley era apenas um jovem que havia terminado o colegial. Fazia pouco tempo que ele havia começado a trabalhar em seu primeiro emprego como motorista de caminhão da companhia de eletricidade da cidade de Memphis. De vez em quando Elvis levava seu violão, o colocando no banco ao lado da cabine de seu caminhão. Enquanto a equipe consertava os fios elétricos, Elvis ficava dedilhando seu instrumento, cantando algum sucesso que ouvira nas estações de rádio.

Como era pobre, Elvis não via possibilidades de ir para uma universidade. Nos Estados Unidos as universidades eram privadas e caras e ele simplesmente não tinha dinheiro para bancar algo assim. Além disso tinha que trabalhar para ajudar no orçamento muito apertado de sua família. Elvis morava ao lado de seu pai e sua mãe em um conjunto habitacional construído pelo governo Roosevelt que tinha como objetivo justamente dar moradia para famílias de baixa renda de todo o Sul do país. Era parte do New Deal, o programa do governo que procurava levantar o país depois da grande depressão. O objetivo era ajudar as famílias mais pobres do país, um programa social de habitação popular.

Assim cursar uma universidade estava fora dos planos e das possibilidades de Elvis. Ao contrário disso e seguindo os conselhos de seu pai ele se matriculou em um curso técnico para se tornar eletricista. Seu pai Vernon, um homem que havia trabalhado nos campos de algodão, sabia como era importante aprender uma profissão, além disso como ele uma vez disse ao filho: "Esses eletricistas ganham muito bem Elvis! Entre um conserto e outro eles enchem os bolsos!". Embora gostasse de cantar e tocar violão, não passava pela cabeça de Elvis se tornar um músico profissional. A classe artística era mal vista naqueles tempos, coisa de vagabundos da Beale Street, a rua onde se concentrava os bares de Memphis.

Embora não tivesse planos de ser um dia alguém que viesse a viver de sua música, Elvis tinha curiosidade em saber como soaria sua voz em um disco! Sua curiosidade acabaria o levando a tentar a sorte ao ver um anúncio da Sun Records, pequeno selo musical de Memphis, que fazia discos caseiros para quem pagasse o valor cobrado. Ao passar pelo estúdio viu o anúncio e decidiu gravar uma versão de uma velha canção chamada "My Happiness" de 1933. Durante muitos anos se espalhou a lenda de que Elvis teria gravado esse disquinho para dar de presente para sua mãe, mas isso não foi verdade. A família Presley não tinha vitrola e nem sua mãe estava fazendo aniversário naquela época. A verdade pura e simples é que Elvis tinha curiosidade e queria ouvir sua voz gravada em um acetato! Será que sua voz ficaria bem numa gravação?

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Elvis Presley - Pablo Aluísio
    Elvis Presley - Os primeiros anos - Parte 1
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Essa estória do disco pra mãe dele eu comprei por muitos anos.

    ResponderExcluir
  3. Tudo lenda. O mais interessante é que essa lenda segue sendo repetida, até mesmo que matérias bem recentes. Como costumava repetir o diretor John Ford: "Quando a lenda é mais interessante que a realidade, imprima-se a lenda!"

    ResponderExcluir