quarta-feira, 12 de abril de 2017

Elvis Presley - Divórcio e Depressão - Parte 6

Durante seus últimos anos Elvis sofreu não apenas com crises depressivas cada vez maiores e frequentes, mas também com doenças físicas que muito o debilitaram. A causa de muitos desses problemas de saúde vinha do uso excessivo de medicamentos. Seu fígado, seus rins e outros órgãos estavam no limite após anos e anos de abusos dessas drogas. Seu coração, por exemplo, estava fora do tamanho normal de um ser humano de sua idade e peso. Algo estava muito errado com seu corpo de forma em geral. Em determinado momento de sua vida Elvis pareceu perder o controle sobre o que tomava. Inúmeras vezes teve que ser internado às pressas para tratamento médico.

Numa dessas ocasiões, conforme recordou Linda em seu livro de memórias, Elvis acordou de uma longa noite em que esteve sedado no hospital. Ele então pediu delicadamente para que ela se aproximasse de sua cama e apertou sua mão bem forte. Então Elvis disse algo a Linda que a deixou sem reação. Ele olhou de forma fixa em seus olhos e disse: "Eu sonhei com a minha morte ontem. Foi tudo muito real. E nesse sonho você era o meu irmão que morreu. Ele morreu para que eu pudesse sobreviver. Ele morreu sufocado para que eu nascesse. Você era ele!". Linda jamais esqueceu dessa confissão de Elvis. Realmente Jesse, seu irmão, havia morrido no nascimento em 1935. Desse parto complicado apenas Elvis conseguiu sobreviver.

Elvis estudou religiões orientais a vida inteira. Em muitas dessas doutrinas religiosas a reencarnação era algo palpável, concreto. Estaria Elvis realmente acreditando que Linda era a reencarnação de seu falecido irmão Jesse que agora o reencontrava em um momento muito ruim de sua vida, com o divórcio, os problemas de saúde e a depressão?  Será que Elvis realmente levava fé nessa hipótese tão estranha e fora do comum? A de que o espírito de Jesse Garon Presley havia reencarnado anos após sua morte, voltando ao plano terreno como Linda Thompson? Essa pergunta ficou sem uma resposta mais definitiva. Elvis apenas quis contar seu sonho para ela, sem pensar muito no que tudo isso poderia enfim significar para o relacionamento de ambos...

Mesmo toda a religiosidade porém não conseguia parar o lado mais forte da personalidade de Elvis. Ele havia herdado um lado bem explosivo de sua mãe e não negava isso. Muitas vezes até tinha orgulho desse lado que havia puxado de Gladys. Certa noite Elvis chamou Red West ao seu quarto. Linda ficou do lado de fora, mas logo começou a ouvir uma grande discussão entre eles. As coisas foram ficando cada vez mais agressivas e violentas e quando Linda entrou no quarto percebeu que ambos, Elvis e Red, estavam com armas em punho! Sem pensar muito na loucura que estava fazendo Linda entrou no meio dos dois homens armados, evitando assim que algo mais sério acontecesse naquela suíte.

Tanto Elvis como Red não pareciam dispostos a recuar. Nesse dia, mais uma vez, Linda salvou a vida de seu namorado, um gesto heroico que mereceu uma reprimenda por parte de Sonny. Depois de que a confusão se acalmou ele chamou Linda de lado e lhe deu alguns conselhos: "Nunca mais faça isso! Não era a sua briga, não era a sua batalha! Você poderia ter morrido lá! Eu não acredito que Elvis fosse matar alguém, mas uma arma pode disparar de forma acidental quando usada por alguém com a cabeça quente! Não faça mais isso!". Linda ouviu os conselhos de Sonny, um guarda-costas experiente que sabia o que estava fazendo e nunca mais se envolveu em uma situação tão arriscada como aquela. Nunca mais ela arriscaria sua própria vida.

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Elvis Presley - Pablo Aluísio
    Elvis - Divórcio e Depressão - Parte 6
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Olá, grimilde35
    Eu que agradeço sua visita.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir