quarta-feira, 19 de abril de 2017

Elvis Presley - The Wonder of You - Parte 4

"Kentucky Rain" nunca foi das minhas canções preferidas de Elvis. Seu arranjo original nunca foi muito bem realizado. Aqui nessa nova orquestração a música certamente ganhou mais consistência. O curioso é que esse feeling instrumental me soou tão anos 80! Não sei se todos perceberam isso, mas esses novos instrumentos poderiam muito bem estar em qualquer álbum de uma daquelas bandas de um sucesso só, que se tornaram tão comuns naquela década. Melhorou, certamente melhorou, mas com esse estilo 80´s, tudo me pareceu também um pouco datado. Arranjaram espaço até para uma bateria eletrônica... quem diria.

"Memories" vem logo a seguir. Essa canção foi gravada especialmente por Elvis para seu especial de TV no canal NBC, conhecido como "Comeback Special". Em minha visão essa música já ganhou sua orquestração definitiva, que foi justamente a da gravação original. Não precisava fazer mais nada. Os produtores desse novo CD provavelmente pensaram dessa mesma forma pois apesar de toda a instrumentação ter sido substituída, tudo no final das contas ficou igual. Assim a palavra chave aqui é desnecessária. Não há necessidade nenhuma de tirar os músicos originais para colocar novos músicos executando praticamente o mesmo arranjo de 1968. Completamente desnecessário.

Como sabemos a versão original de "Let It Be Me" do álbum "On Stage" foi gravada ao vivo. Penso que tentar colocar novos arranjos em versões ao vivo é um erro e tanto, pois não se trata apenas da performance do vocalista, mas também da sua banda, todos absorvendo as energias do público. Até mesmo os pequenos erros contam a favor em se tratando de gravações ao vivo. É tudo um grande complexo de fatores. Assim os produtores aqui erraram feio. Isolaram a voz de Elvis da reação do público, de seu grupo de apoio e com isso tiraram a alma dessa faixa. Era preciso fazer algo assim? Não, não era. Além disso se equivocaram com alguns instrumentos, como por exemplo, essa maldita bateria eletrônica dos anos 80 (que aqui volta a assombrar). O que Elvis e sua música tem a ver com os plastificados anos 80? Nada, absolutamente nada. Prefira a versão original do disco ao vivo gravado em Las Vegas e nada mais.

Já "Always on My Mind" até que ficou bonita. Gostei da introdução mais bem trabalhada, parecendo até uma pequena canção de ninar. Apesar dos bons arranjos dessa nova instrumentação o problema se repete. Os produtores ficaram com receio de modificar muito a versão original que é, queiram ou não, um standart da música popular americana. Optando novamente pelo "novo, mas igual", seguiram basicamente as diretrizes da gravação original de Elvis, até mesmo nas linhas de acompanhamento e nos instrumentos de destaque. As únicas modificações aliás foram mesmo na introdução (bonita, repito) e nas linhas finais, que a despeito dos violinos bem executados, continuam na mesma levada do single de 1972. Dois pequenos detalhes que não justificam a existência dessa nova versão.

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Elvis Presley - Pablo Aluísio
    Elvis Presley - The Wonder of You - Parte 4
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Pablo. O que demonstra que os produtores da época do Elvis já estavam a frente de seu tempo. Eu gosto muito de Kentucky Rain, um homem perdido atrás de sua esposa, debaixo da chuva de Kentucky. Acho lindo. Já Memories nunca foi uma das minhas preferidas. De uma certa forma The Wonder of you ficou bom, mas como você falou, nada muito diferente dos originais.

    ResponderExcluir
  3. É verdade. De minha parte sempre vou preferir as versões originais, não apenas por seu lado histórico, mas também pelo fato delas terem sido criadas dessa forma.

    ResponderExcluir