quarta-feira, 12 de julho de 2017

Elvis Presley - Let's Be Friends - Parte 3

"Change of Habit" foi a canção tema do filme "Ele e as três noviças". Esse foi o último filme de Elvis ao velho estilo, com roteiro, elenco, direção e argumento mais tradicional. Apesar disso o filme tinha também novidades interessantes, fugindo daquelas estorinhas mais bobas que rechearam muitas das produções com Elvis em Hollywood. Ao invés de ser um cantor piloto de corridas ou galã de piscinas de grandes hotéis, Elvis interpretava um médico de uma pequena clínica na parte mais pobre de Nova Iorque. Seu estilo surgia mais natural, com o cabelo solto, em ótimo visual. Além disso Elvis contracenava com a ótima atriz Mary Tyler Moore, que vinha em um ótimo momento da carreira, onde atuava na popular série de TV "Mary Tyler Moore Show". Era uma mudança para melhor dentro da filmografia do cantor. Infelizmente Elvis já havia decidido deixar Hollywood, voltando aos shows em Las Vegas. Era uma página virada em sua vida profissional.

A trilha sonora desse filme foi gravada na costa oeste, nos estúdios da Universal localizados na Califórnia. Esses mesmos estúdios eram usados pela gravadora Decca que disponibilizava sua própria equipe para trabalhar no local. Por essa razão Elvis gravou ao lado desses músicos do estúdio. Uma turma diferente, com quem ele nunca havia trabalhado antes. Só para se ter uma ideia havia quatro guitarristas à disposição (Dennis Budimir, Mike Deasy, Howard Roberts e Robert Bain). Elvis preferia trabalhar com seus músicos tradicionais, mas preferiu guardar suas reservas só para si. No final até que essa mudança foi bem positiva, pois trouxe uma nova sonoridade aos seus discos. É saudável que de tempos em tempos haja mudanças nesse sentido, principalmente em se tratando de grandes cantores como Elvis Presley.

Assim, com direção musical do maestro Billy Goldenberg, Elvis começou as sessões de sua última trilha sonora. "Change of Habit" tem um belo arranjo, com um guitarra bem presente. A melodia tem uma cadência própria, bem de acordo com o som da época. Não é tola e nem tem uma letra óbvia demais. De maneira em geral gosto bastante dessa gravação. Elvis já estava com aquele estilo vocal que iria se destacar em suas gravação no American Studios em Memphis. Uma voz mais encorpada, forte! Isso contribuiu bastante para o bom resultado. Outro ponto digno de citação foi o belo trabalho do baixista Lyle Ritz em raro solo dentro da discografia de Elvis. Um bom momento, sem dúvida.

"Have a Happy", que foi gravada nas mesmas sessões dessa trilha sonora, era bem mais convencional. Nesse dia, o último de gravação, algumas mudanças foram feitas na equipe musical que acompanhava Elvis. O guitarrista Robert Bain assumiu o baixo e Max Bennett chegou para ajudar nas sessões. Essa segunda canção de "Ele e as três noviças" que foi selecionada para esse álbum "Let's Be Friends" pode ser considerada uma das mais pueris desse disco. Ao contrário da anterior não tenta inovar muito e nem absorver as mudanças da sonoridade da época. É de certa maneira uma herderia tardia das antigas trilhas de Elvis. Um último adeus a aquele tradicional estilo de Hollywood dos velhos tempos.

Pablo Aluísio.

9 comentários:

  1. Elvis Presley - Pablo Aluísio
    Let´s Be Friends - Parte 3
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Pablo:

    Como você já disse, e já havia eu comentado aqui, neste filme eu gosto de tudo: do visual do Elvis, da ousadia do roteiro, Mary Tyler Moore com sua boca sensual e de uma coisa que você não cita no post acima e salta aos olhos no filme. O Elvis, um Protestante Batista, cantando Let Us Pray em uma missa... católica! Esse era o Elvis, um rebelde nato e perene.

    ResponderExcluir
  3. Elvis não apenas cantava músicas religiosas católicas, como mantinha em Graceland imagens católicas. Religiosamente ele era eclético, procurando conhecer todas as doutrinas religiosas, tirando o que de melhor havia em cada uma.

    ResponderExcluir
  4. Pablo, graças ao seu post do Elvis Today, o Baratta se compadeceu de mim e gentilmente me enviou o referido disco em mp3 e eu já o ouvi. Como você havia dito, é excelente. Só o achei mais country que outros discos do Elvis deste período mas isso não é um demérito, muito ao contrario, é muito bom.
    Obrigado pela sua ajuda, pois graças ao seu amigo pude desfrutar de mais uma obra prima do Elvis! Abs.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom saber disso. Um fã de Elvis ajudando ao outro. Em relação do "Today", sim, a country music está bem presente. Era algo comum nos discos de Elvis da época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão. O que eu quis dizer é que neste período não tinha discos do Elvis gravados assim, geralmente eram coletâneas e indefectivelmente havia os rocks antigos com algumas musicas novas, então não soavam tão country quanto esse, assim com aconteceu com o Moody Blue.

      Excluir
  6. Para mim a canção Change of Habit poderia ser utilizada em palestras de motivação. Para mudar algo insatisfatório é preciso mudar seus hábitos, traças novos caminhos. A letra também fala de preconceito, que é preciso aceitar as pessoas, principalmente as humildes economicamente falando. Change of habit ainda faz um trocadilho com o hábito das freiras e mudança de atitudes. Acho essa canção fenomenal.

    ResponderExcluir
  7. Ótimas observações Eunice. Realmente você pegou a essência da música, é exatamente isso. Não poderia resumir melhor. Grande abraço.

    ResponderExcluir